Um roteiro de arquitetura que vai te fazer ver São Paulo com outros olhos

A capital paulista é também um templo de grandes monumentos arquitetônicos, e nada como homenageá-los em uma data tão propícia como o Dia do Arquiteto

Por Yeska Coelho Atualizado em 15 dez 2021, 12h25 - Publicado em 15 dez 2021, 10h33
Brazil, Sao Paulo, Edificio Copan by Oscar Niemeyer
Edificio Copan de Oscar Niemeyer em São Paulo. Gettyimages/CASACOR

O Dia do Arquiteto e Urbanista é celebrado hoje (15). Trata-se de uma data festejada em todo o Brasil para homenagear os profissionais da arquitetura e construção que já criaram e aos que continuam construindo monumentos para habitar, apreciar, descansar, se divertir ou simplesmente ir e vir.

A cidade de São Paulo é reconhecida por uma série de honrarias, e a arquitetura sem dúvidas é uma delas. Por essa razão, criamos um roteiro para você começar e terminar o dia inspirado! Confira a seguir:

Catedral da Sé

 

Catedral da Sé
Divulgação/CASACOR

A Catedral da Sé é com certeza um dos projetos de arquitetura mais famosos da cidade de São Paulo, e visitá-la pela manhã pode ser uma excelente maneira de começar o dia. Ela foi projetada pelo arquiteto alemão Maximilian Emil Hehl e inaugurada no dia 25 de janeiro de 1954 – para celebrar o aniversário da cidade.

Ela é considerada como um dos cinco maiores templos góticos de todo o mundo, com capacidade de 8 mil pessoas no interior do espaço, em que a arquitetura combina elementos clássicos e renascentistas. Você poderá acompanhar um dos eventos religiosos e se perder nos mais de 70 metros de altura de suas torres. A cúpula renascentista misturada ao estilo gótico surpreende, mas agrada também.

Uma ver por mês, após a missa dominical, acontece um brunch em cima do altar da Catedral. Um chef novo é convidado para fazer o menu a cada evento, que permite aos visitantes uma experiência gastronômica, mas também perfeita para conhecer os espaços pouco acessados da igreja.

Endereço: Praça da Sé – Sé

Horário de abertura: das 8h às 18h, todos os dias.

Palacete Teresa Toledo Lara

 

palacete Tereza Toledo Lara
Divulgação/CASACOR

Ao sair da Catedral, você irá caminhar pouco mais de 1 km até chegar ao segundo destino arquitetônico de São Paulo: o Palacete Teresa Toledo Lara. Esse é um dos prédios que melhor ilustram o Centro Histórico da cidade. O espaço foi inaugurado antes mesmo da igreja, em 1910, sob encomenda do conde Antônio de Toledo Lara, um dos fundadores da marca Antarctica. À frente da construção, o arquiteto alemão Augusto Fried trouxe diversos traços europeus para compor o edifício – estátuas, relevos, guirlandas e mais.

O espaço servia como um centro corporativo, principalmente para médicos, advogados e comerciantes. Anos mais tarde, em 1940, o palacete passou a abrigar a Rádio Record.

Se a visita ao espaço acontecer próximo ao horário do almoço, você pode aproveitar para conhecer o restaurante Casa de Francisca, um ambiente que reúne música, arte e gastronomia e fica alocado no interior do edifício histórico.

View this post on Instagram

A post shared by Casa de Francisca (@casadefrancisca)

 

Endereço: Rua Quintino Bocaiúva 22 – Sé

Horário de funcionamento (do restaurante): de quarta a sexta, das 11h30 – 15h e 20h – 01h; de sábado das 12h – 18h e 20h – 01h; e aos domingos do 12h – 18h.

Casa de Vidro

 

Casa de Vidro, 1950, São Paulo, SP, BR - Lina Bo Bardi
Casa de Vidro, 1950, São Paulo, SP, BR – Lina Bo Bardi Henrique Luz/CASACOR

A viagem até a Casa de Vidro (saindo da Sé) é um pouquinho longa, mas vale muito a pena. Você terá que percorrer 13 km para chegar ao espaço criado por ninguém menos do que Lina Bo Bardi, a primeira mulher com cidadania brasileira a receber o prêmio Leão de Ouro – e que esteve à frente de grandes construções em São Paulo, entre elas, o MASP.

A Casa de Vidro é uma das obras mais famosas da arquiteta, e também foi o seu primeiro trabalho ao chegar no Brasil. Diferente de outros projetos assinados por Lina, a residência serviu como morada para ela e seu marido durante 40 anos. Como destaque, vale ressaltar que a casa é um símbolo da arquitetura moderna e foi construída de forma a preservar a vegetação originária da Mata Atlântica.

Endereço: R. Gen. Almério de Moura, 200 – Morumbi

Horário de funcionamento: de quinta à sábado, das 10h às 15h30.

FAU/USP

 

Prédio da FAU/USP por Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi
Prédio da FAU/USP por Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi Divulgação/CASACOR

Voltando para o centro, você pode dar uma paradinha e visitar a FAU – a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. O prédio além de ter uma história importante para a arquitetura, já tendo recebido grandes mestres durante a sua história (entre eles, Paulo Mendes da Rocha), é uma belíssima obra modernista.

O prédio foi criado por Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi, que iniciaram as obras em 1961 e finalizaram em 1969. O que chama mais atenção é o exterior do prédio, cujos trapézios duplos trazem uma amplitude para o espaço. O objetivo principal, e que caracteriza também o movimento modernista que Artigas defendia, é a integração dos ambientes para torná-los mais democráticos e acessíveis entre os alunos, fazendo um verdadeiro convite à troca de conhecimentos.

Endereço: R. do Lago, 876 – Butantã

Horário de funcionamento: das 08h às 19h; para combinar a data de visitação enviar e-mail para: comunicacaofau@usp.br

Estação da Luz

 

Museu da Língua Portuguesa
Rodrigo Soldon/CASACOR

Saindo da FAU, são 16 km de distância até a Estação da Luz. Sugerimos que você pegue o Metrô, já que basta pegar a linha Amarela até o final (saindo do Butantã) para chegar no destino rapidinho.

A estação completou 120 anos, e por ela passam em média 250 mil pessoas todos os dias úteis. Além do seu papel fundamental para a mobilidade urbana, o local ainda é um verdadeiro templo de arquitetura em São Paulo – prova disso é que a estrutura chegou a ser tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico (Condephaat).

View this post on Instagram

A post shared by Museu da Língua Portuguesa (@museudalinguaportuguesa)

Continua após a publicidade

A estação, na forma como conhecemos hoje, foi inaugurada no dia 1° de março de 1901. Sua arquitetura teve forte inspiração do estilo inglês do século XIX e XX, o que fez com que ela ficasse conhecida como “Ingleza”. Vale a pena passar por lá, tirar umas fotos e ainda dar uma passadinha para conferir o resultado da restauração do Museu da Língua Portuguesa, que fica dentro da própria Estação, e que foi totalmente reformado após um incêndio de grandes proporções que aconteceu em 2015.

Endereço: Estação da Luz

Horário de funcionamento (do museu): De terça a domingo das 9h às 16h30.

Pinacoteca

 

poster cartaz enciclopédia negra pinacoteca arte exposição
Divulgação/CASACOR

Antes do dia acabar, nada como fazer uma visitinha e apreciar uma exposição na Pinacoteca, e já que você vai estar pertinho de lá, por quê não? O prédio foi projetado por Ramos de Azevedo, no século XIX, e nos anos 90 passou por uma reforma capitaneada por ninguém menos do que Paulo Mendes da Rocha, que recebeu o Prêmio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-Americana, em 2000, em honraria ao projeto.

noite longa andré komatsu pinacoteca de são paulo
Divulgação/CASACOR

A estratégia de Mendes da Rocha, que destacou o projeto perante o mundo, foi o de criar uma rotação do eixo principal de visitação por meio de um cruzamento sutil das pontes com os espaços vazios – como os pátios internos –, o que contribuiu para uma relação mais profunda da edificação com a cidade.

Para o próximo ano, a Pinacoteca terá um novo anexo, que será conduzido pelos Arquitetos Associados (responsáveis pelos edifícios do Inhotim). Com a expansão do prédio, a Pinacoteca deve ocupar a posição de um dos maiores museus da América Latina.

Endereço: Praça da Luz, 2 – Luz

Horário de funcionamento: Quarta a segunda, das 10h às 17h30 com permanência até as 18h.

Edifício Martinelli

 

Edifício Martinelli
Divulgação/CASACOR

O primeiro arranha-céu de São Paulo continua sendo uma das referências arquitetônicas e turísticas mais marcantes da cidade. Distante 3 km da Pinacoteca, de longe é possível avistar o prédio, que conta com 105 metros de altura.

Encomendado pelo empresário Giuseppe Martinelli, o edifício foi inaugurado em 1929 e teve um papel importante para verbalizar o momento de boom econômico que acontecia em São Paulo – não à toa, o prédio foi construída na Rua São Bento, um importante polo comercial da cidade até os dias de hoje.

Além de sua grandiosidade, o Martinelli sempre chamou a atenção por seu aspecto luxuoso em meio ao centro, com elementos arquitetônicos clássicos, muito comuns em projetos dos Estados Unidos. Um dos espaços de destaque que oferece um panorama incrível da cidade é o mirante no topo do prédio (no entanto, por causa da pandemia, esse ambiente ainda não foi reaberto).

O espaço fica aberto para receber o público todos os dias, e os ingressos podem ser adquiridos gratuitamente pelo Sympla.

Endereço: R. São Bento, 405 – Centro Histórico de São Paulo

Horário de funcionamento: das 11h às 19h30, todos os dias.

Copan

 

Edifício Copan
Divulgação/CASACOR

Distante 2 km do Edifício Martinelli está o Copan, um magnífico empreendimento construído por Oscar Niemeyer que se destaca por seu formato curvado em meio a uma São Paulo verticalizada e que estava passando por um período de forte industrialização e especulação imobiliário no centro, nos anos 50.

O espaço foi encomendado para servir como um prédio residencial, que deveria ter 900 apartamentos. Hoje, o espaço conta com mais de 1.160 apartamentos e cerca de 5 mil moradores – o que garantiu o título como o maior edifício residencial da América Latina.

View this post on Instagram

A post shared by Bar da Dona Onça (@bardadonaonca)

Além das moradias, o Copan também abriga comércios, cinema e até uma igreja. Se você for visitar o espaço a noite, sugerimos dar uma paradinha para jantar no Bar da Dona Onça, restaurante comandado pela Chef Janaína Rueda que está localizado aos pé do famoso edifício. Para fazer sua reserva, basta clicar aqui!

Endereço: Av. Ipiranga, 200 – Centro Histórico de São Paulo

Horário de funcionamento (do restaurante): de segunda à sábado, das 12h às 23h, aos domingos 12h às 17h.

Hotel Unique

 

Hotel Unique
Divulgação/CASACOR

Para finalizar o seu tour ainda mais inspirado, que tal reunir os amigos para tomar uns drinks no Skye Restaurante & Bar no topo do Hotel Unique? O empreendimento foi criado pelo grande Ruy Ohtake (que nos deixou aos 83 anos, no último dia 27) e foi inaugurado em 2003. O prédio é um dos mais famosos de São Paulo graças ao seu formato que se assemelha a um barco.

Skye Restaurante & Bar
Divulgação/CASACOR

Trata-se de um hotel boutique como nunca antes visto. O formato inusitado, diferente do que se pensa, não foi motivado apenas por um apelo estético, mas principalmente para conseguir adequar o projeto aos padrões da região – que permitiam apenas edifícios de até sete andares. Com o formato, Ruy conseguiu dar vazão e alocar mais acomodações para receber os visitantes.

O Skye Restaurante & Bar é uma das amenidades que os hóspedes e o público geral podem desfrutar, com deliciosos drinks apreciando uma das vistas mais bonitas da cidade – configurando, assim, o desfecho perfeito para o seu passeio.

Endereço: Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4700 – Jardim Paulista

Horário de funcionamento (do Skye Restaurante & Bar): Café da manhã (diariamente) das 7h às 11h; almoço
de segunda a sexta-feira das 12h às 15h30 e sábados, domingos e feriados das 13h às 15h30; jantar
de segunda a sábado das 17h30 à 00h30 (permanência máxima até 1h da manhã) e domingo das 17h30 às 23h30 (permanência máxima até meia noite). Não aceita reservas, apenas de hóspedes.

Continua após a publicidade

Publicidade