Relembre 7 obras marcantes de Paulo Mendes da Rocha

À frente de obras como o Museu da Língua Portuguesa e a reforma da Pinacoteca, o urbanista é um dos grandes nomes da arquitetura mundial

Por Yeska Coelho Atualizado em 18 jun 2021, 16h33 - Publicado em 11 fev 2021, 09h38

Famoso por suas obras que já garantiram prêmios no mundo todo, bem como por sua filosofia sobre a arquitetura como ferramenta pública para a cidade, o arquiteto brasileiro Paulo Mendes da Rocha faleceu no dia 23 de maio, aos 92 anos de idade. Ele lidava com um câncer no pulmão e estava internado em São Paulo.

Condecorado por seu trabalho, Paulo Mendes da Rocha já recebeu prêmios como Leão de Ouro na Bienal de Veneza, Prêmio Imperial de Artes do Japão, Medalha de Ouro do RIBA e o Pritzker em 2006. Se você mora ou conhece São Paulo, com certeza já esbarrou em algum dos projetos do famoso arquiteto – apesar de já ter assinado projetos em outros estados e até foram do país.

Quem foi Paulo Mendes da Rocha?

O arquiteto e urbanista Paulo Mendes da Rocha

Antes de apresentar suas obras mais conhecidas, é importante entender quem foi o urbanista e sua importância para a arquitetura no Brasil.

Apesar de seu vasto trabalho centralizado em São Paulo, Paulo Mendes da Rocha nasceu em Vitória, em 25 de outubro de 1928. Filho de pai engenheiro, isso o inspirou e deu uma visão mais abrangente sobre o papel da arquitetura e a sua relação com a geografia.

Em 1954, Mendes da Rocha se formou em Arquitetura e Urbanismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. A partir de 1960, iniciou sua carreira acadêmica na FAU, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP.

Em sua trajetória, o arquiteto teve passagens como assistente de João Batista Vilanova Artigas e foi professor na universidade em que assumiu a cadeira de presidente do Instituto Brasileiro de Arquitetos.

A seguir, conheça algumas das mais importantes obras da carreira de Paulo Mendes da Rocha.

Sesc 24 de Maio

Fachada espelhada do sesc 24 de maio
Nelson Kon/CASACOR

Com uma arquitetura bastante moderna que se destaca no centro urbano de São Paulo, entre as ruas 24 de Maio com a Dom José de Barros, o Sesc foi um projeto de Mendes da Rocha concluído em 2017.

O espaço é contemplado por um revestimento de cimento aparente que ocupa quase todo o prédio. Ah! E uma dica esperta para quem pretende conhecer o espaço é visitar o espelho d’água, que fica no andar inferior ao da piscina.

espelho d'água no Sesc 24 de maio serve para os pedestres admiraem, se encostarem e crianças brincam nos 15 cm de profundidade
Nelson Kon/CASACOR

Com 15 cm de água, as pessoas podem se debruçar quando estiverem molhadas, sem que caia água na rua ou em quem transita pelo local.

Pinacoteca de São Paulo

fachada da pinacoteca de são paulo
Divulgação/CASACOR

Apesar de ter sido projetado no século XIX pelo arquiteto Ramos de Azevedo, o prédio passou por uma ampla reforma nos anos 90 feita por Mendes da Rocha.

A Pinacoteca, da forma como conhecemos hoje, tem uma influência grandiosa do estilo do arquiteto. Uma das manobras adotadas para o projeto foi a rotação do eixo principal de visitação por meio de um cruzamento sutil das pontes com os espaços vazios – como os pátios internos – o que contribuiu para uma relação mais profunda da edificação com a cidade.

A reforma garantiu ao arquiteto o Prêmio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-Americana, em 2000.

Continua após a publicidade

Museu dos Coches

museu dos choches em portugal, Lisboa
Fernando Guerra/CASACOR

Apesar da forte influência do brasileiro para a arquitetura paulistana, o seu trabalho não ficou restrito e o Museu dos Coches é um belo exemplo disso.

Localizado em Lisboa, Portugal, o museu conta com um pavilhão principal em que acontecem as exposições e um anexo com as partes administrativas e de lazer, como: recepção e administração, restaurante e auditório.

Novamente, vale exaltar o potencial minimalista das obras de Paulo Mendes da Rocha, que contemplam uma atmosfera em concreto simplista, mas com soluções funcionais de um bom projeto de urbanismo de caráter atemporal.

Museu da Língua Portuguesa

Museu da lingua portuguesa
Mrsandman Creative Commons/CASACOR

O Museu da Língua Portuguesa teve as mãos e mente de Paulo Mendes da Rocha em sua criação. Sua influência arquitetônica tão influente foi inclusive preservada para a restituição do espaço após o incêndio que sofreu em 2015.

O local contava com amplo espaço para exposições e o investimento em tecnologia foi fundamental. Para o novo projeto, alguns conceitos discutidos na época em que Mendes assumiu voltam à tona e pretendem fazer bonito na reestruturação do espaço.

A previsão para reabertura do Museu para visitação é no dia 5 de julho deste ano.

Praça do Patriarca

praça do patriarca localizada próxima ao viaduto do chá
Nelson Kon/CASACOR

O projeto Praça do Patriarca é uma verdadeira intervenção urbana localizado próximo ao Viaduto do Chá em São Paulo. O estilo futurista da construção contrasta com os prédios antigos do centro de São Paulo.

A passagem de pessoas acontece de forma fluida e livre. O projeto propõe uma verdadeira mudança no tráfego viário, bem como das paradas dos ônibus na região.

Casa Gerassi

casa grassi de paulo mendes da rocha. São duas fotos. A primeira é uma sala de estar com jantar integradas e a segunda fachada da residência em concreto

Apesar de sua forte influência em arquitetura e urbanismo, Mendes da Rocha também se aventurou em projetos residenciais. A Casa Gerassi é um belíssimo exemplo disso.

A casa foi construída para um casal com duas filhas e utilizou uma estrutura pré-fabricada de concreto aramado, o que garantiu agilidade, modernidade e custo moderado ao resultado final do projeto.

No interior, o arquiteto investiu em móveis sofisticados, como uma poltrona de couro de alto padrão. Além disso, o espaço ficou bastante aberto, espaçoso e arejado para que os moradores tirassem máximo proveito da entrada de luz natural.

MuBE

MuBe Jardim Europa
Divulgação/CASACOR

O Museu Brasileiro da Escultura, localizado no Jardim Europa, em São Paulo, também foi uma obra contemplada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha.

O espaço surgiu por meio de uma iniciativa da associação de moradores do bairro que queria impedir a construção de um shopping no local – que consiste em uma construção integrada a um jardim projeto por Burle Marx.

A interferência de Mendes da Rocha é perceptível analisando a atmosfera contemporânea e o revestimento em cimento – uma verdadeira marca do arquiteto.

Continua após a publicidade
Publicidade