7 plantas para cultivar em ambientes com pouco sol

Samambaias, suculentas, cactos... Conheça algumas plantas de meia-sombra que se adaptam facilmente a casas e apartamentos

Por Nádia Sayuri Kaku Atualizado em 9 abr 2021, 11h25 - Publicado em 9 abr 2021, 10h00

Se você está pensando em deixar sua casa em um clima mais Urban Jungle, mas não sabe exatamente como começar, a arquiteta Beatriz Quinelato – profissional do elenco Janelas CASACOR – lista abaixo 7 espécies de plantas que crescem bem em ambientes de meia-sombra. Aproveite e confira também quais os cuidados e recomendações para cultivar plantas em apartamentos.

Samambaias

A maioria das espécies prefere ambientes de meia-sombra e é preciso tomar cuidado para não expô-las a ventos intensos. Quando as samambaias estão totalmente protegidas do sol, duas regas semanais no solo são suficientes.

CASACOR 2016: arranjos de parede
No Living Garden, de Sandra Moura e Leila Azzouz para a CASACOR Paraíba 2016, as samambaias aparecem em hexágonos produzidos em laca fosca, madeira e estrutura de ferro pintada. Divulgação/CASACOR

Suculentas

Preste sempre atenção para elas terem sol ou bastante luminosidade. As suculentas preferem o solo mais seco, como os cactos. Dessa forma, elas podem ser regadas dependendo do grau de umidade da região, mas sempre no máximo uma vez por semana – um pouquinho só. (Saiba mais sobre suculentas aqui)

A mesa central iluminada com tampo de vidro acopla diversas suculentas no Jardim das Agaves, ambiente de Gabriela Gaunszer Kozlowski e Rejane Heiden para a CASACOR São Paulo 2018.
A mesa central iluminada com tampo de vidro acopla diversas suculentas no Jardim das Agaves, ambiente de Gabriela Gaunszer Kozlowski e Rejane Heiden para a CASACOR São Paulo 2018. Divulgação/CASACOR

Ficus lyrata

Para cultivar dentro de casa, é aconselhável colocar perto das janelas, onde podem receber a luz do sol de forma mais sutil. As regas devem ser feitas sempre que a superfície do solo estiver seca. E um cuidado: ficus não gostam de ser mudados de lugar.

Jardim dos sentidos de Bia Abreu
No Jardim dos Sentidos, projeto de Bia Abreu para a CASACOR São Paulo 2019, a Ficus lyrata de 4,5 m é permeada por um banco em linhas retas de design autoral. Evelyn Muller/CASACOR

Ripsális

Muito utilizado em jardins verticais, o ripsális se assemelha a um fio de macarrão e pode ser amarrado em troncos de árvores. Não demanda muita água e é resistente a ventos e baixas temperaturas.

O ambiente de Jean de Just para a CASACOR São Paulo 2019 exibe folhagens e mandacarus de várias alturas, além de ripsális na prateira superior, compondo um jardim seco inspirado na paisagem de Palm Springs, Califórnia.
O ambiente de Jean de Just para a CASACOR São Paulo 2019 exibe folhagens e mandacarus de várias alturas, além de ripsális na prateira superior, compondo um jardim seco inspirado na paisagem de Palm Springs, Califórnia. Divulgação/CASACOR

Espada-de-São-Jorge

De origem africana, é uma planta que se adapta bem à sombra e ao sol, pede pouca ventilação e necessita de rega entre uma e duas vezes por semana. É considerada também uma espécie que traz proteção.

Marcelo Diniz e Mateus Finzetto criaram um jardim dentro do seu Banheiro do Ceramista: a espada-de-São-Jorge aparece junto com galhos secos e uma casinha de João-de-barro.
Marcelo Diniz e Mateus Finzetto criaram um jardim dentro do seu Banheiro do Ceramista: a espada-de-São-Jorge aparece junto com galhos secos e uma casinha de João-de-barro. Divulgação/CASACOR

Antúrio

Com formato de coração, o antúrio se adapta bem a ambientes internos e iluminados, mas não suporta sol o dia todo. Para uma folhagem bonita, mantenha a terra úmida na primavera e no verão, diminuindo as regas no inverno.

No Loft Cosmopolita, ambiente de Fernando Piva para a CASACOR São Paulo 2015, antúrios verdes compõem com livros nas mesas de centro.
No Loft Cosmopolita, ambiente de Fernando Piva para a CASACOR São Paulo 2015, antúrios verdes compõem com livros nas mesas de centro. EduardoPozella/CASACOR

Cactos

Bastantes resistente ao sol, os cactos maiores devem ser regados a cada cinco dias, e os minicactos a cada quatro. No inverno, dobre o intervalo para regas quinzenais. Como crescem conforme a área disponível, transplante o cacto para um recipiente maior no fim do outono ou no início da primavera.

O paisagista Daniel Nunes homenageia a caatinga em uma paisagem árida e peculiar em seu Jardim Kariri para a CASACOR São Paulo. Cactos verdes e azuis foram pontuados de forma a traduzir esta essência de cheios e vazios da caatinga.
O paisagista Daniel Nunes homenageia a caatinga em uma paisagem árida e peculiar em seu Jardim Kariri para a CASACOR São Paulo. Cactos verdes e azuis foram pontuados de forma a traduzir esta essência de cheios e vazios da caatinga. Divulgação/CASACOR

Serviço Janelas CASACOR, edição São Paulo
Visite todos os ambientes com o Tour 3D no site janelascasacor.com.br

Continua após a publicidade
Publicidade