Prada reúne arquitetos e designers para criar coleção

Quatro dos mais conceituados estúdios desenharam as peças da coleção de outono

Por Ana Carolina Harada Atualizado em 18 jan 2018, 14h16 - Publicado em 17 jan 2018, 17h16
Divulgação/CASACOR

A arquitetura e o design se uniram à alta costura na nova coleção da Prada. Quatro profissionais célebres – Ronan & Erwan Bouroullec, Konstantin Grcic, Herzog & de Meuron and Rem Koolhaas – foram convidados para a criação de uma peça de roupa usando tecido de nylon preto, um ícone da marca. No dia 14 de janeiro, os produtos foram expostos na Prada Fashion Week 2018, que ocorreu na Prada Warehouse.

Divulgação/CASACOR

Conheça um pouco sobre o dream team montado pela Prada:

Ronan & Erwan Bouroullec

Repreodução/CASACOR

A dupla de irmãos franceses colaborou para várias marcas prestigiadas de mobiliário e design como Vitra, Kvadrat, Kartell, Alessi e Cappellini. Suas peças também podem ser encontradas no Instituto de Arte de Chicago, no Musée National d’Art Moderne – Centre, o Museu de Arte Moderna de Nova York, e no Museu de Design em Londres.

“Este projeto (para a Prada) pega a geometria e a instala em uma bolsa de ombro, com o interior costurado, bandas elásticas e ilhó, utilizando uma única cor, o que produz uma brincadeira gráfica sutil”, Ronan Bouroullec.

Konstantin Grcic

Reprodução/CASACOR

O alemão Konstantin Grcic é uma das mais prestigiadas figuras no mundo do design de mobiliário e utensílios domésticos. Dentre as marcas com as quais colabora estão: Authentics, Flos, Iittala, Krups, Lamy, Magis, Moroso, Muji, Plank e Vitra. Da parceria com Magis, nasceu a cadeira Chair_One, que atualmente reside no acervo permanente do MoMa.

Continua após a publicidade

“A referência para minha proposta é o colete de pescaria representando a ideia de bolsa (na qual é o material de nylon foi utilizado primeiramente) como item de vestuário”, Konstantin Grcic.

Herzog & de Meuron

Reprodução/CASACOR

Os arquitetos suíços assinaram projetos emblemáticos como o armazém e sede da fábrica Ricola Europa na França, a Casa Koechlin na Suíça, a Biblioteca da Escola Técnica Superior de Eberswalde, na Alemanha e o Museu Tate de Arte Moderna em Londres. A dupla foi a vencedora do Prêmio Pritzker em 2001.

“A linguagem perdeu seu poder, seu poder de persuadir as pessoas com argumentos ou as encantar com a poesia das palavras. Linguagem era uma arma de iluminação, usada para construir argumentos e significados, e para instigar verdades – pelo menos uma verdade potencial”, crítica Herzog & de Meuron.

Rem Koolhaas

Reprodução/CASACOR

O arquiteto holandês ficou internacionalmente conhecido por seu livro Delirious New York, considerado uma leitura clássica sobre arquitetura e sociedade. Atualmente, atua como professor de desenho urbano na Univeridade de Harvard.

“Em 1984, a Prada era inteiramente responsável pelo retorno da mochila. A mochila, extremamente útil quando se está explorando a natureza, tornou-se a bolsa urbana preferida. Na natureza, a mochila carrega suéteres, capas de chuva, bananas, bebidas, meias. Todos comprimidos num único e disforme volume. A forma da mochila tem a conveniência da flexibilidade, da localização – nas costas – e o grande inconveniente da que é o difícil acesso para o usuário”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade