Galeria Whitechapel vira piscina abandonada nas mãos de Elmgreen & Dragset

A instalação faz uma reflexão sobre a gentrificação da zona leste de Londres e a perda contínua de espaços públicos

Por Fernanda Drumond Atualizado em 17 fev 2020, 16h50 - Publicado em 3 out 2018, 17h11
Divulgação/CASACOR

A dupla de artistas alemães Elmgreen & Dragset transformou o piso térreo da galeria Whitechapel em uma piscina pública vasta e estranhamente abandonada. A intervenção faz parte da exposição “É assim que nós mordemos a nossa língua”, que abriu em 27 de setembro. A instalação em grande escala foi criada como uma reflexão sobre a gentrificação da zona leste de Londres e a perda contínua de espaços públicos.

Divulgação/CASACOR

Elmgreen & Dragset transformaram a Whitechapel com uma narrativa fictícia, que conta a história de sua ascensão e queda, desde sua fundação filantrópica em 1901 até sua ascensão como uma famosa instituição de utilidade pública e seu declínio politicamente sancionado e impulsionado comercialmente. Vazia de água e com suas superfícies se deteriorando, a piscina aponta para uma perda de fé no espaço público em uma era de austeridade. A região leste de Londres era povoada por bares onde os artistas costumavam se encontrar. Agora há estúdios de artistas fechados e que se transformavam em apartamentos de luxo. Ao mesmo tempo, bairros mais pobres experimentaram o efeito da política de austeridade.

Divulgação/CASACOR

Ao entrar no prédio, os visitantes encontram assistentes vestidos como seguranças, patrulhando o espaço com jaquetas pretas e molhos de chaves barulhentos. Na piscina, Elmgreen & Dragset expressam nostalgia pela perda de espaços cívicos, demonstrando como os indivíduos são afetados por políticas governamentais e a metamorfose desses ambientes.

Divulgação/CASACOR

Trabalhos adicionais dos artistas são apresentados dentro da piscina, como “Alguns ficaram enquanto outros partiram” (2018), uma estátua caída de um corpo masculino sem cabeça evocando uma escultura clássica. Nas proximidades, “Casamento Gay” (2010), um trabalho que consiste em dois mictórios com seus encanamentos entrelaçados e conectados e “Muito Pesados” (2017), uma imensa rocha de alumínio que pesa sobre um trampolim.

Divulgação/CASACOR

“Elmgreen & dragset: é assim que nós mordemos nossa língua” está na galeria Whitechapel de 27 de setembro de 2018 a 13 de janeiro de 2019. A exposição foi organizada por Laura Smith, curadora da galeria, e o curador assistente Habda Rashid. A mostra é acompanhada por uma publicação ilustrada, incluindo uma entrevista entre Iwona Blazwick, diretora da Galeria Whitechapel e Elmgreen & Dragset.

Divulgação/CASACOR

 

Continua após a publicidade
Publicidade