Vereda Marni: o sincretismo cultural na Semana de Design de Milão

A marca Marni apresenta no Salão do Móvel sua coleção conjunta com artesãos colombianos

Por Ana Carolina Harada Atualizado em 18 fev 2020, 07h51 - Publicado em 19 abr 2018, 18h59
Marni La Vereda, Milano © stefanocandito.com/CASACOR

Cores, sensações, tradições. Transmitir a essência da Colômibia por meio do trabalho de seus artesãos é o objetivo da Marni no Salão do Móvel 2018 de Milão. Las Veredas são pequenos assentamentos urbanos ao redor de uma ou duas ruas que acabam impulsionando comunidades rurais. Nelas, todos são referências para todos e, em cada Vereda, existe um conhecimento compartilhado local e próprio, muito ligado ao cotidiano.

Marni La Vereda, Milano © stefanocandito.com/CASACOR

A Vereda Marni é o local onde toda essa cultura se traduz em coleções de mobiliário e acessórios. Novos materiais, tonalidades e formas despontam e se destacam. Aves, plantas e trançados se unem a padrões geométricos e clássicos para se transformarem em cadeiras, tapetes, mesas e redes. As peças são assinadas pela Marni em conjunto com a inspiração do trabalho das artesãs de Villanueva, Curitì e comunidades na costa Atlântica.

Marni La Vereda, Milano © stefanocandito.com/CASACOR

Além das coleções, o espírito de trocas se manifesta na trilha sonora: o compositor colombiano Absalón Sinisterra se apresenta no dia 19 e 21 de abril no espaço. Sinisterra foi forçado a deixar sua cidade natal, Timbiquí, devido à conflitos armados, em 2001. Desde então, em Bogotá, usa a música como forma de propagar mensagens pacifistas.

Marni La Vereda, Milano © stefanocandito.com/CASACOR

Cada item da Vereda Marni está ligado à uma causa social. Parte dos lucros obtidos no Salão do Móvel será revertida para a La casa sull’albero, projeto promovido pelo Piccolo Principe S.C.S Onlus (www.piccoloprincipe.va.it), que ajuda famílias no processo de adoção em Milão.

Marni La Vereda, Milano © stefanocandito.com/CASACOR
Continua após a publicidade
Publicidade