ETEL lança coleção assinada designer italiana Patricia Urquiola

Confira as reedições de Joaquim Tenreiro e Daciano da Costa e os lançamentos de Patricia Urquiola apresentados pala Etel na SP-Arte 2022

Por Cristina Bava Atualizado em 7 abr 2022, 13h43 - Publicado em 7 abr 2022, 11h00

 

Mesa de centro raízes_Patricia Urquiola_Fernando Laszlo_MG_0432.jpg
Mesa de centro raízes assinada por Patricia Urquiola Fernando Laszlo/CASACOR

Três nomes extraordinários do design são apresentados pala Etel durante a SP-Arte 2022. São reedições do mestre Joaquim Tenreiro e de Daciano da Costa, além de peças inéditas desenhadas exclusivamente pela grande designer contemporânea Patricia Urquiola

Após quase dois anos de reclusão e conexões digitais, a ETEL aposta em uma exposição sensorial, e as relações entre Brasil, Portugal e Espanha que é explorada na décima oitava edição da SP-Arte 2022. Com peças expostas pela primeira vez no Brasil e assinadas por Patricia Urquiola, Joaquim Tenreiro e Daciano da Costa, a Galeria apresenta o elo entre passado e presente. Trata-se de um conjunto de reedições originais e edições atuais desenhadas por importantes precursores do design moderno em contraponto com criações do hoje, e os desafios desse tempo.

Mesa Circular Joaquim Tenreiro reeditada por ETEL e Sinalética Daciano da Costa
Mesa Circular Joaquim Tenreiro reeditada pela ETEL e Sinalética Daciano da Costa Divulgação/CASACOR/CASACOR

Joaquim Tenreiro, pai do design moderno brasileiro, e Daciano da Costa, reconhecido patrono do design moderno Português – ambos portugueses de nascença –, participam do momento passado, e manifestam as diferentes conexões com suas influências e identidades. Desde meados do século XX, Tenreiro apresenta de forma desafiadora e única criações condizentes com a realidade brasileira da época, distante da possibilidade de industrialização, com madeiras tipicamente brasileiras, e clima quente, o que o fez desafiar os limites da leveza na sua construção. Já Daciano, em contraponto, traz criações alinhadas com o modernismo europeu, buscando o bom desenho, aliado à função, mas também em íntima conexão com a arquitetura de sua época.

Mesa Circular Joaquim Tenreiro reeditada pela ETEL e licenciada pelo Instituto Joaquim Tenreiro_Sinalética Daciano da Costa_Crédito Ruy Teixeira
Mesa Circular Joaquim Tenreiro reeditada pela ETEL e licenciada pelo Instituto Joaquim Tenreiro_Sinalética Daciano da Costa Ruy Teixeira/CASACOR

Já no presente momento em que vivemos, Patricia Urquiola em parceria com a ETEL, desenvolve criações que materializam novas formas de conexão, revisitando a tipologia dos carrinhos marcantes na história do design brasileiro, unindo às preciosas madeiras brasileiras, mas em uma estética atual, e que trata com sensibilidade os desafios ambientais desse nosso tempo.

A primeira experimentação resultou na criação do material Plasma, idealizado por Lissa Carmona, CEO e curadora da ETEL, para a linha Cascas; composta pelo Carrinho de chá, Contenitore e Mesa lateral. O resultado foi consolidado graças a parceria com a Vallvé, que possibilitou a união desse composto feito 80% de fontes renováveis, de cavacos de madeira da produção junto com polímero de fonte vegetal e 20% de resinas minerais.

O segundo material sustentável é nomeado como Marwoolus®, feito com resíduos de mármore e uma reminiscência de lã da indústria da moda, desenhado na Itália por Marco Guazzini. A inovadora solução é utilizada na produção das peças da linha Raízes de Patricia Urquiola, composta pela Mesa central, Aparador e a inédita Mesa Lateral Raízes, essa última exposta no Pavilhão da Bienal.

Carrinho Cascas desenhado por Patrícia Urquiola
Carrinho Cascas desenhado por Patrícia Urquiola Ruy Teixeira/CASACOR

O stand da SP-Arte, assinado pelo escritório Siqueira Azul Arquitetura, este ano de volta à Bienal no edifício assinado por Oscar Niemeyer, convida os visitantes a navegarem sensorialmente através do tempo e espaço, e se permitir vivenciar a grandiosidade e primor da construção das peças assinadas por Joaquim Tenreiro, sentir as cores e texturas de Daciano da Costa, e se envolver pela materialidade inovadora da Patricia Urquiola.

Continua após a publicidade

Para celebrar essa retomada de eventos para um grande público, coroados por Niemeyer, as peças apresentadas também migram simbolicamente da residência privada para o público, do digital para o analógico, através de um ensaio realizado na única residência paulistana que se tem registro assinada por Oscar Niemeyer, fotografadas por Ruy Teixeira.

Mesa de centro raízes_Patricia Urquiola
Detalhes da mesa de centro raízes de Patricia Urquiola Fernando Laszlo/CASACOR

Sob a organização da ETEL, a mostra Conexões pode ser vista na 18ª edição da SP-Arte, que acontece de modo híbrido, dentre exposições montadas no Pavilhão da Bienal, entre os dias 06 e 10 de abril.

Algumas das peças apresentadas serão a Mesa Triangular (Joaquim Tenreiro), a inédita Mesa Lateral Raízes (Patricia Urquiola) e Tapeçarias Linha Penta de Daciano da Costa. 

Serviço

 

Stand: DS10 – Pavilhão Térreo

Endereço: Pavilhão da Bienal (Pavilhão Ciccillo Matarazzo) – Av. Pedro Álvares Cabral, portão 3 – Parque Ibirapuera, cep: 04094-000 / São Paulo, SP

Data da exposição: 07 a 10 de abril – Dia 06 de abril reservado a convidados.

Horário de visitação: De quinta a sábado das 13hrs. às 19hrs. – No domingo das 11hrs. às 19hrs.

Compartilhe essa matéria via:
Continua após a publicidade

Publicidade