Studio Arthur Casas transforma construção tradicional em Nova York

O projeto da Casa Brownstone teve de preservar a fachada histórica, compondo cômodos em seis estreitos andares

Por Redação 19 out 2020, 16h09
Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

Qualquer filme em Nova York tem uma cena quase obrigatória em uma rua com construções no estilo Brownstone. As pequenas casas geminadas, estreitas e verticais são típicas da cidade que nunca dorme. O nome vem dos tijolos marrons que cobrem as fachadas.

Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

Para o Studio Arthur Casas, porém, as residências foram uma oportunidade de criar soluções criativas em espaços restritos. O projeto possui seis pavimentos, cada um deles corresponde à um cômodo. Os arquitetos explicaram o processo de criação ao site Arch Daily.

Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

No primeiro piso ficam a cozinha, escritório e jardim externo. Os armários e balcões pretos são pouco usuais para o Studio, que costuma empregar paletas claras, mas os tons escuros são balanceados por paineis de madeira e marcenaria branca.

Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

A iluminação fica por conta de uma grande janela, que fornece luz natural para todos os espaços. Graças à um recuo na laje – pois não era possível fazer alterações na fachada – o vidro continua até o andar de cima, funcionando como uma conexão entre os pisos. Neste segundo andar estão as áreas sociais: sala de jantar, bar e estar.

Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

Os três pavimentos superiores foram dedicados à intimidade da família de ocupantes, um casal com dois filhos pequenos. Para eles, o Studio criou, além dos quartos, um playroom, academia, sala de cinema e uma área externa com lareira.

Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

A decoração é marcada pelos contrastes entre acabamentos neutros no interior e revestimentos escuros no exterior. O piso é feito de madeira carvalho nos andares superiores e limestone nos inferiores. Os tons quentes e terrosos da paleta fazem referência às cores do Oriente Médio, terra natal dos moradores.

Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

O apreço pelo design brasileiro aparece na escolha do mobiliário, com várias peças assinadas pelo próprio Arthur Casas. Estética similar foi aplicada na Sys Haus, ambiente assinado por Casas para a CASACOR São Paulo 2018.

Reprodução Studio Arthur Casas/CASACOR

Por fim, o grande destaque do projeto é a piscina interna instalada no subsolo. Banhada por luz natural por meio de uma claraboia, ela ganha um aspecto dramático e cenográfico. O revestimento é feito com ripas de madeira, pontuadas por sancas e luzes lineares embutidas.

Continua após a publicidade
Publicidade