Design com significado e texturas sensoriais fazem do estúdio um lar

Ambiente de Diego Raposo para a CASACOR Rio de Janeiro 2019, o Estúdio do Viajante tem uma atmosfera descomplicada, que permite reconhecer o essencial

Por Giovanna Jarandilha - 23 jun 2020, 14h53

Para um jovem que viaja o mundo e busca conforto na volta para casa, o Estúdio do Viajante é um verdadeiro oásis. O lar aparece aqui como um espaço de reconexão consigo mesmo, onde a decoração sem excessos permite reconhecer o que é essencial. Objetos pessoais, como malas, livros e obras de arte, deixam o visitante à vontade, acolhido em uma atmosfera descomplicada. O bem-estar também é estimulado pelo tátil, através das texturas que aquecem o tapete e os estofados.

A leveza minimalista do projeto de Diego Raposo para a CASACOR Rio de Janeiro 2019 inspira uma nova forma de morar, em que o morador estabelece uma relação afetiva com a casa. Esta se expressa através de peças que contam uma história, por vezes proveniente de herança familiar e em outras de lembranças de viagens.

Publicidade