Obra de Eduardo Srur reflete sobre consumo e descarte em São Paulo

A partir de 31 de agosto, esculturas da intervenção Caçambas estarão espalhadas em contestação do excesso de lixo produzido na cidade

Por Giovanna Jarandilha Atualizado em 17 fev 2020, 16h32 - Publicado em 29 ago 2019, 16h47

Eduardo Srur está com uma nova intervenção artística em São Paulo: serão 15 esculturas com o formato de uma caçamba de entulho, elemento comum nas paisagens urbanas.

Chamada Caçambas, a intervenção provoca uma reflexão sobre o excesso de lixo produzido na cidade, resultado do modelo irresponsável de produção e consumo de alimentos. No Brasil, 60% dos alimentos são perdidos desde sua origem até a mesa do consumidor.

Rogerio Canella/CASACOR

A partir de 31 de agosto, a intervenção poderá ser conferida nos bairros de Pinheiros e Butantã, assim como no entorno do MuBE – Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia. Com a forma e tamanho das caçambas, as obras poderão ser facilmente reconhecidas: em vez de conter os resíduos, a estrutura de metal vazado subverte sua função original, e revela que na verdade o lixo não desaparece, apenas muda de lugar.

As esculturas em si serão também deslocadas para outros pontos da cidade, um símbolo de que esse “desaparecimento perverso dos resíduos” apenas esconde seu transporte para “lugares distantes e menos assistidos da sociedade”, comenta Srur.

No decorrer da exposição, o artista fará um ensaio fotográfico nos locais das obras, de maneira a evidenciar que o entulho e o descarte irregular dominam a paisagem urbana.

Srur também participa da exposição Ambiental: arte e movimentos, no MuBE. Na ocasião, será apresentado um vídeo produzido dentro do CEAGESP – maior central de distribuição de alimentos da América Latina, onde toneladas de comida são desperdiçadas diariamente.

 

Continua após a publicidade
Publicidade