Nova intervenção de Eduardo Srur em São Paulo tem caráter permanente

Enorme barco laranja ficará atracado nas margens do Rio Pinheiros, remetendo ao descaso com a poluição das águas

Por Giovanna Jarandilha Atualizado em 17 fev 2020, 16h35 - Publicado em 26 jun 2019, 10h56
Eduardo Srur/CASACOR

Eduardo Srur é um artista visual responsável por diversas intervenções urbanas em São Paulo, relacionadas em sua maioria ao Rio Pinheiros – localizado em frente ao seu ateliê na capital paulista e chamado por ele de “canal de esgoto a céu aberto”.

Ocupou, em 2006, um trecho de 3 quilômetros de extensão do rio com 150 caiaques tripulados por manequins de plástico, que se juntaram ao lixo flutuante e formaram uma ilha de resíduos que remetia ao mapa do Brasil. Ainda, em 2014, impressionou motoristas com esculturas realistas de pessoas em trampolins azuis nas pontes que cruzam as marginais.

Desta vez, a margem do rio recebe a obra Barco sobre um Rio Enterrado, que reflete sobre poluição das águas.

Um barco laranja de 8 metros de comprimento ficará exposto na ciclovia, próximo à ponte Cidade Jardim. Diferente de suas obras anteriores, esta terá caráter permanente. “Como é impossível navegarmos no Rio Pinheiros, o barco ficará atracado na margem como algo que existe, porém sem utilidade”, afirma Srur.

A obra faz parte de um projeto fotográfico de documentação mensal dos efeitos do clima e do tempo sobre o barco. O resultado, porém, é incerto. “Talvez eu desapareça antes da obra, ou incomode a ponto de ser retirada. Mas certamente é algo que preciso fazer como um alerta insistente para os governantes e as futuras gerações que viverão em São Paulo”.

Continua após a publicidade
Publicidade