A cidade com mais índios do Brasil inaugura usina de oxigênio

Localizada na cidade de São Gabriel da Cachoeira (AM), a usina é uma doação do Greenpeace à Foirn (Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro)

Por Redação Atualizado em 7 Maio 2021, 10h36 - Publicado em 10 Maio 2021, 16h00
Usina de oxigênio; amazonas; rio negro; pandemia; povo indígena; São Miguel da Cachoeira
Christian Braga/CASACOR

Em maio de 2020, pico da primeira onda de Covid-19 em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, faltou oxigênio para os pacientes internados no único hospital da cidade. O que salvou a cidade de uma tragédia maior foi uma grande mobilização. Em poucas horas, instituições que atuam na região transportaram cilindros de Manaus ao município a tempo de impedir que os doentes morressem asfixiados. 

Quase um ano depois, e em meio à persistente crise sanitária, a aliança emergencial entregou à população um reforço importante: uma usina de oxigênio.

Usina de oxigênio; amazonas; rio negro; pandemia; povo indígena; São Miguel da Cachoeira
Christian Braga/CASACOR

A usina de oxigênio foi doada pelo Greenpeace à Foirn (Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro), em um esforço coletivo com as organizações parceiras: ISA, Coiab (Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira) e Expedicionários da Saúde (EDS). 

Usina de oxigênio; amazonas; rio negro; pandemia; povo indígena; São Miguel da Cachoeira
Christian Braga/CASACOR

Instalada na Unidade Básica de Saúde (UBS) Miguel Quirino, a usina teve custo total de 750 mil reais e poderá abastecer 12 cilindros de 50 litros diariamente, com oxigênio a 95% de pureza.

Usina de oxigênio; amazonas; rio negro; pandemia; povo indígena; São Miguel da Cachoeira
Christian Braga/CASACOR

O presidente da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), Marivelton Barroso, do povo Baré ressalta: “Nós tínhamos que melhorar a infraestrutura de saúde para os 23 povos indígenas do Rio Negro e a conquista desta usina de oxigênio é um legado para a região. A negligência do governo federal com a população brasileira e em especial com os mais vulneráveis como os povos indígenas, é uma vergonha mundial. Se não fosse pela união das instituições, teríamos visto uma enorme tragédia humanitária no Rio Negro”.

Usina de oxigênio; amazonas; rio negro; pandemia; povo indígena; São Miguel da Cachoeira
Christian Braga/CASACOR

Além de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro e Barcelos (Médio e Baixo Rio Negro), que somam uma população aproximada de 100 mil pessoas, também serão beneficiados pela usina de oxigênio. 

Usina de oxigênio; amazonas; rio negro; pandemia; povo indígena; São Miguel da Cachoeira
Christian Braga/CASACOR

Essa é uma vitória dos povos indígenas e um legado para o sistema público de saúde da região, graças ao trabalho coletivo de instituições da sociedade civil organizada, a luta continua.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade