Banheiros impressos em 3D geram energia para aldeias na Índia

Ao reaproveitar resíduos humanos, animais e vegetais, a cúpula do banheiro armazena gás e o transforma em energia para aldeias necessitadas

Por Alex Alcantara Atualizado em 17 fev 2020, 16h45 - Publicado em 26 nov 2018, 16h02
Reprodução/CASACOR

Um dos principais problemas de saúde e higiene das aldeias remotas da Índia e da África é a falta de saneamento básico, onde as pessoas são obrigadas a conviverem com resíduos humanos e animais.

Reprodução/CASACOR

Pensando neste agravante, o escritório de arquitetura Spark, em parceria com a ONU, desenvolveu o Big Ass Toilet: um banheiro impresso em 3D, que reúne resíduos animais, humanos e vegetais, e os transforma em energia elétrica, solucionando dois problemas de uma só vez.

Reprodução/CASACOR

O módulo sanitário é ancorado a uma reinterpretação impressa em 3D de uma cúpula tradicional de biogás, que fica enterrada no solo. A cúpula, dimensionada para funcionar por 10 anos, gera e armazena gás. O biogás produzido, alimenta uma unidade combinada de calor e energia (CHP) para gerar eletricidade.

“O biogás é um produto da quebra de matéria orgânica, no caso do Big Ass Toilet, o biogás é um produto de resíduos humanos, resíduos alimentares e resíduos agrícolas. O biogás pode ser usado diretamente para atividades como cozinhar ou  para acionar uma turbina micro-CHP, que converte o gás em eletricidade”, explicam os profissionais.

Reprodução/CASACOR

O invólucro do bloco de sanitários é impresso em 3D, como uma única peça, que vem completa com vaso sanitário e bacia. O exterior pode ser processado ou finalizado com uma variedade de materiais apropriados ao contexto e ambiente locais. As formas curvas toalete são projetadas para serem estruturalmente sólidas, relativamente fáceis de imprimir e leves.

“Esta é uma estratégia mais sustentável e leve do que o uso de materiais de impressão 3D mais usados, como plásticos e cimento. Os banheiros foram projetados para a Índia, mas poderiam ser usados ​​em outras partes do mundo”, finalizam.

Continua após a publicidade
Publicidade