Yinka Ilori transforma utensílio domésticos em obras de arte

A primeira coleção de utensílios domésticos do designer é cheia de cor e vida, misturando aspectos africanos e europeus

Por Redação Atualizado em 21 dez 2020, 14h38 - Publicado em 21 dez 2020, 08h00
Imagem com quatro pratos sobre toalha da nova coleção e uma flor no centro
Reprodução Dezeen/CASACOR

O designer londrino Yinka Ilori traduziu os padrões alegres e característicos que enfeitam suas instalações em grande escala em uma coleção de peças para a casa de edição limitada. A linha de 20 peças marca a primeira incursão de Ilori em itens domésticos, abrangendo tapetes, almofadas, grés e toalhas de mesa, além de itens utilitários mais inesperados, como bandejas, toalhas de chá e canecas esmaltadas.

Mesa coberta com toalha da coleção e vaso de flor
Reprodução Dezeen/CASACOR

“Gosto da ideia de transformar algo a que normalmente não prestamos muita atenção em casa em algo artístico, uma peça de declaração que tem uma narrativa por trás disso. Acho que passamos tanto tempo sendo distraídos por outras coisas que tendemos a não apreciar o design funcional tanto quanto poderíamos.” disse o profissional ao Dezeen.

Arranjo em cenário branco com todas as peças da coleção, incluindo travesseiros, tapetes, canecas e pratos
Reprodução Dezeen/CASACOR

Em vez de colaborar com uma empresa para executar as peças, Ilori assumiu o controle de sua criação do início ao fim para manter a independência criativa. Os resultados vem com a marca autointitulada e recém-criada, Ilori, que estará à venda principalmente em seu próprio site.

Imagem de prato sobre bandeja, ambos da coleção. Vaso de flor no canto esquerdo superior
Reprodução Dezeen/CASACOR

“Eu queria estabelecer uma marca de utilidades pois sentia que era importante para mim e para a equipe do estúdio ter uma compreensão completa e auto suficiente de todo o processo, desde o conceito de design até a produção e varejo. O isolamento cancelou muitos de nossos projetos este ano, então houve tempo para começar a transformar essa ideia em realidade.”

 

Cada peça é criada em colaboração com diferentes artesãos e fornecedores: tigelas e pratos, por exemplo, são feitos em Portugal enquanto tapetes são feitos à mão no Nepal. À semelhança do streetwear, elas serão lançadas em edição limitada “drops”, para que seja possível sentir a reação e demanda do público.

Tapete com grafismo de abacaxi
Reprodução Dezeen/CASACOR

Uma série de bases para copos circulares e jogos americanos são estampados com alguns dos designs que lançaram a carreira de Ilori, enquanto outras peças apresentam padrões diretamente transpostos de suas instalações. Como grande parte do trabalho de Ilori, essas gravuras combinam suas raízes nigerianas e impressões de sua infância no norte de Londres.

Detalhe do arranjo em cenário branco com todas as peças da coleção, incluindo travesseiros, tapetes, com foco nas canecas e pratos
Reprodução Dezeen/CASACOR

“Os padrões que usei nesta coleção foram baseados na ideia de um intercâmbio cultural – uma fusão das culturas e costumes africanos e ingleses. Para mim, esses padrões representam o passado e o presente, unindo duas culturas na Londres de hoje e celebrando a sociedade que temos agora.”

Dois tapetes da coleção levemente sobrepostos
Reprodução Dezeen/CASACOR

Da mesma forma, dois tapetes apresentam o tema abstrato e repetido de um abacaxi, um item que era tão raro e luxuoso quando foi trazido da América do Sul que as socialites londrinas alugavam um por uma única noite para exibi-lo em seus jantares. Em outro lugar, a coleção apresenta canecas esmaltadas, um “design britânico clássico” que remete à história industrial do país, ao lado de roupas de cama, que Ilori diz que carregam uma nostalgia especial para ele. Em sua infância, as toalhas de mão eram um objeto democrático na casa, usadas por todos os diferentes membros da família para diferentes fins, enquanto uma toalha de mesa invariavelmente indicava uma ocasião especial.

Continua após a publicidade
Publicidade