Cadeira da EMECO mantém milhões de garrafas PET fora de aterros e oceanos

A 111 Navy - com a mesma forma da 1006 Navy, mas feita de 111 garrafas plásticas recicladas - foi lançada em 2010

Por Fernanda Drumond Atualizado em 6 jul 2021, 17h32 - Publicado em 25 mar 2020, 16h17
Cadeira da EMECO mantém milhões de garrafas PET fora de aterros e oceanos
Divulgação/ EMECO/CASACOR

O PET, usado em bilhões de garrafas plásticas todos os anos, é provavelmente o plástico mais comum na Terra. Com o objetivo de mantê-lo fora de aterros e oceanos, em 2006, a Coca-Cola procurou a marca Emeco para resolver um problema ambiental – retirar as garrafas da Coca-Cola do aterro e transformá-las em um item icônico e durável.

Cadeira da EMECO mantém milhões de garrafas PET fora de aterros e oceanos
Divulgação/ EMECO/CASACOR

A empresa se comprometeu com o desafio do novo material e construiu uma cadeira resistente. O processo de desenvolvimento durou quatro anos e contou com a ajuda de especialistas da BASF.

Cadeira da EMECO mantém milhões de garrafas PET fora de aterros e oceanos
Divulgação/ EMECO/CASACOR

A 111 Navy – com a mesma forma da 1006 Navy, mas feita de 111 garrafas plásticas recicladas – foi lançada em 2010. “Embora o pioneirismo em um material totalmente novo e a reengenharia de um produto principal tenham sido um investimento significativo para nós, fiquei empolgado com o impacto do reuso do PET de milhões de garrafas. Transformamos algo que muitas pessoas jogam fora em algo que você deseja e mantém por muito, muito tempo ”, disse Gregg Buchbinder, da Emeco.

Cadeira da EMECO mantém milhões de garrafas PET fora de aterros e oceanos
Divulgação/ EMECO/CASACOR

Todos os anos, a cadeira 111 Navy mantém milhões de garrafas fora de aterros e oceanos.

Cadeira da EMECO mantém milhões de garrafas PET fora de aterros e oceanos

Continua após a publicidade
Publicidade