Paulo Pasta em dose dupla

Artista inaugura mostra de obras inéditas, no anexo da Millan, e exposição panorâmica no Tomie Ohtake

Por Cristina Bava Atualizado em 18 fev 2020, 07h54 - Publicado em 2 mar 2018, 18h30
Cris Komesu/CASACOR

A primeira delas, intitulada Lembranças do Futuro, no Anexo da Galeria Millan, se debruça sobre uma questão essencial de sua obra: o tempo. A segunda, no Instituto Tomie Ohtake, exibe uma panorâmica de pinturas do artista, com telas de grandes dimensões e de diferentes fases, selecionadas pelo curador Paulo Miyada. 

Cris Komesu/CASACOR

Uma feliz coincidência que permite ao público confirmar, em dose dupla, a solidez e maturidade de sua obra e testemunhar a capacidade do artista de se reinventar sem perder sua identidade. Paulo Pasta dispensa apresentações mais detalhadas quando o assunto é pintura contemporânea. O artista traz na bagagem a poética dos grandes pintores modernistas em constante diálogo com os brasileiros como Volpi, Dacosta, e Iberê Camargo.

Cris Komesu/CASACOR

Entre os aspectos mais marcantes de sua pesquisa destacam-se a tendência a trabalhar com cores mais escuras e a grande preocupação com a exploração dos valores cromáticos. Essa pesquisa em torno da saturação e intensidade dos tons deriva de sua investigação da função da cor como elemento central para a criação de efeitos óticos na pintura.

Cris Komesu/CASACOR

Pasta costuma dizer que aprendeu com Matisse o valor da disciplina e com Volpi a importância de ter paciência. “Não basta a intenção, o projeto tem que ser submetido à ação diária, persistente, vagarosa, tornando-se assim destino”.

Cris Komesu/CASACOR

SERVIÇO – Paulo Pasta – Lembranças do Futuro

Anexo Millan

Continua após a publicidade

Rua Fradique Coutinho, 1416 – Vila Madalena – São Paulo

Tel: (11) 3031.6007

Abertura: 24 de março de 2018, sábado, das 12h às 16h

De terça a sexta, das 10h às 19h.

Continua após a publicidade
Publicidade