Alfredo Jaar vence o Prêmio Hasselblad 2020

O Prêmio Internacional Fundação Hasselblad de Fotografia vai para o artista chileno Alfredo Jaar

Por Cristina Bava 27 mar 2020, 13h12
Alfredo Jaar- Geometria da Consciência, 2010 Divulgação/CASACOR

O chileno Alfredo Jaar foi o vencedor da 40ª edição do Prêmio Hasselblad. Artista, arquiteto e cineasta, Jaar mora em Nova York. Seu trabalho é reconhecido por suas instalações que discutem questões complexas com temáticas sociopolíticas. Uma de suas mais famosas intervenções públicas, foi a criação de um museu, na Suécia, feito de papel que teve a efêmera duração de um único dia.

Alfredo Jaar- Geometria da Consciência, 2010 Divulgação/CASACOR

“Alfredo Jaar vem realizando importantes contribuições para a história da fotografia, ao abordar as políticas que governam a produção e circulação de imagens, nos mostrando as implicações econômicas, políticas e sociais inseridas no ato de olhar, assim como as nossas responsabilidades como espectadores de imagens” afirma o brasileiro Thyago Nogueira, presidente do júri do Prêmio Hasselblad 2020.”

Alfredo Jaar – Cultura = Capital, 2012 Divulgação/CASACOR

Além do brasileiro, que é também curador do departamento de fotografia Instituto Moreira Salles, o júri foi formado por Joshua Chuang, curador sênior da New York Public Library, Anna-Kaisa Rastenberger, professora da Academia de Belas Artes da Finlândia, Laura Serani, curadora independente na Italia e na França e Yiannis Toumazis, diretora NiMAC e professora da Frederick University, Chipre.

O prêmio é considerado um dos mais prestigiosos da área e celebrou, em suas outras edições, nomes como Henri-Cartier Bresson, Susan Meiselas (1994), Nan Goldin (2007) e Daido Moriyama (2019).  Segundo Jaar, “Me sinto extremamente honrado e orgulhoso de receber este incrível reconhecimento. Gostaria de expressar minha surpresa e profunda gratidão à Fundação Hasselblad e àqueles que já receberam este prêmio anteriormente. Tenho dedicado minha prática integralmente à política das imagens, e este generoso reconhecimento me dá forças para continuar a minha viagem nesses tempos escuros.”

Alfredo Jaar – The Skoghall Konsthall, 2000, Suécia Divulgação/CASACOR

No Brasil, está programada uma grande mostra retrospectiva que será realizada, em setembro, pelo Sesc Pompéia, em parceria com a Estação Pinacoteca. Um novo livro sobre o artista será publicado pela editora Buchhandlung Walther König, incluindo um novo ensaio de Jacques Rancière, ainda se data de publicação por aqui.

A Fundação Erna e Victor Hasselblad foi criada em 1979 e tem como objetivo promover e fomentar a pesquisa e o ensino acadêmico da fotografia. Desde 1999, a fundação abriu ao público uma biblioteca dedicada exclusivamente à fotografia — atualmente a única biblioteca de livros de fotografia na Suécia.

Continua após a publicidade
Publicidade