ITA testa novas práticas sustentáveis de reforma na Casa Niemeyer

O Projeto Habitas deseja preservar o patrimônio arquitetônico das construções com a inclusão de tecnologias sustentáveis

Por Ana Carolina Harada Atualizado em 30 jan 2018, 16h52 - Publicado em 30 jan 2018, 16h34
Casa Niemeyer Divulgação/CASACOR

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica colocará em prática na quarta-feira, dia 31 de janeiro, o Projeto Habitas, um conjunto de técnicas de reforma sustentáveis, desenvolvidas especialmente para aplicação em construções antigas.

Casa Niemeyer Divulgação ITA/CASACOR

O projeto prevê a intervenção em dois edifícios do campus do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, em São José dos Campos; na Casa Niemeyer e na Casa de Cultura & Sustentabilidade. O objetivo, segundo o professor e coordenador da iniciativa, Wilson Cabral de Sousa Júnior, é atrair a atenção para a importância da sustentabilidade e preservação, unindo o trabalho de engenheiros, designers e arquitetos, além de demonstrar a aplicabilidade e viabilidade de replicação dessas técnicas em outras obras pelo país.

Casa de Cultura Divulgação/CASACOR

Ainda segundo o professor, o Habitas considera a redução de impactos socioambientais e a autossuficiência da concepção dos planos até a escolha dos materiais e consumo de energia e água.

Casa Niemeyer

Reprodução/CASACOR

Uma das construções contempladas pelo Projeto Habitas, a Casa Niemeyer foi projetada pelo arquiteto como parte de um conjunto residencial para o campus. As residências são geminadas, com dois pavimentos bem marcados e varanda com pilotis.

Divulgação/CASACOR

A reforma almeja a preservação do desenho original de Niemeyer, porém com a inclusão de tecnologias sustentáveis suficientes para alcançar a certificação AQUA-HQE – um padrão de sustentabilidade para construções brasileiras, que busca sempre uma melhoria de desempenho.

 

Continua após a publicidade
Publicidade