As arquitetas vencedoras do Pritzker 2020 e suas obras mais importantes

As irlandesas Yvonne Farrell e Shelley McNamara, da Grafthon Architechs, são reconhecidas por seus projetos públicos e maestria construtiva

Por Redação 11 mar 2020, 17h03
Yvonne-Farrell-Shelley-McNamara-pritzker-2020
Ste Murray/CASACOR

As arquitetas Yvonne Farrell e Shelley McNamara foram anunciadas como as vencedoras do Pritzker 2020, maior premiação de arquitetura do mundo. Cofundadoras do escritório Grafton Architects, a dupla encabeça um extenso portfólio, em sua maioria de projetos públicos de bibliotecas, faculdades e escolas  – isso porquê foi no campus da Universidade de Dublin que as então estudantes se conheceram, nos anos 70. De lá saiu a ideia de fundar o próprio escritório, o que só viria a acontecer dois anos depois de suas formaturas, em 1978.

Segundo a organização da premiação, o trabalho de Farrell e McNamara “honram a história ao mesmo tempo em que demonstram maestria sobre o ambiente urbano e a construção”. Seus esforços resultam em projetos “modernos e impactantes, que não repetem ou imitam, mas são decididamente sua própria voz arquitetônica”.

Antes delas, apenas Zaha Hadid teve uma nomeação exclusivamente feminina, durante os 41 anos de prêmio. Nas outras ocasiões – com Carme Pigem, em 2017 e Kazuyo Sejima, em 2010 –, a honraria foi dividida com seus sócios, Rafael Aranda, Ramon Vilalta e Ryue Nishizawa, todos homens.

Reunimos na galeria os projetos mais importantes criados por Farrell e McNamara ao longo dos anos. Os projetos públicos deixam claro o estilo pessoal da dupla: valores humanistas, que primam espaços de troca e integração; importantes técnicas construtivas que buscam estimular o olhar a partir da originalidade; além da intenção de conectar a construção ao contexto cultural que a cerca. Confira!

Continua após a publicidade
Publicidade