Marca de Tel-Aviv lança peças produzidas por artesãs israelenses

A Iota estreia na Milan Design Week 2017 com objetos que unem técnicas artesanais tradicionais com design contemporâneo

Por Fernanda Drumond - 5 abr 2017, 18h42
Divulgação/CASACOR

A marca israelense Iota estreou este ano na Milan Design Week com uma coleção de pufes, banquinhos e tapetes de crochê de fios sob medida.

Fundada em 2014, a Iota trabalha em comunidades locais com altas taxas de desemprego. A marca produz móveis e objetos que casam técnicas de artesanato tradicionais, tais como crochê, com design contemporâneo, criando objetos com textura incomum. O modelo de negócios visa capacitar as mulheres, dando-lhes independência econômica.

Divulgação/CASACOR

A maioria dos lucros das vendas de produtos da Iota são investidos em programas sociais e educacionais em todo o mundo. Atualmente a empresa trabalha apenas com mulheres de Israel, mas a intenção é expandir o projeto para outros países.

Divulgação/CASACOR

A primeira coleção é composta por pufes e bancos feitos de crochê no estilo pétala, almofadas e uma série de tapetes com listras coloridas largas e bordas de seda. Cada um dos produtos tem o nome da mulher que o fez. A equipe de design, liderada pelo diretor criativo Tal Zur, trabalha em conjunto com os artesãos locais buscando alterar a percepção do que pode ser alcançado através do artesanato.

Divulgação/CASACOR

A Iota expõe suas peças na Multiplex, de Tom Dixon, durante o Salone del Mobile, no Teatro Manzoni.

Continua após a publicidade
Publicidade