Com cara de casa, escritório equilibra bem-estar e profissionalismo

Beatriz Quinelato, arquiteta do elenco CASACOR, apostou no cimento queimado para tornar decoração atual, mas ainda sóbria

Por Giovanna Jarandilha Atualizado em 6 mar 2020, 12h53 - Publicado em 5 mar 2020, 15h58

Beatriz Quinelato encontrou um verdadeiro desafio ao projetar o escritório Tauari. A proposta da arquiteta era levar conforto ao local, para aumentar o bem-estar e a produtividade entre os funcionários, mas como fazer isso sem perder de vista a atmosfera profissional?

Franquia da XP Investimentos, o escritório deveria ser um projeto que impressionasse os clientes. Em um primeiro momento, os sócios pediram à Beatriz, arquiteta que irá participar da CASACOR São Paulo em 2020, um estilo sóbrio, como um escritório comercial mais tradicional.

Adriano Escanhuela/CASACOR

Com o tempo, a proposta se adaptou ao desejo de um espaço ainda convencional, mas antenado às tendências de decoração. O revestimento das paredes em cimento queimado foi essencial para criar esse efeito. Ele também dá ao projeto uma cara industrial, reforçada pelas linhas puras e poucos elementos da decoração.

Adriano Escanhuela/CASACOR

Beatriz elaborou uma das salas de reunião como se fosse uma sala de estar, com poltronas e sofá confortáveis. A sala, que também segue a paleta de cinza e verde, incentiva que os funcionários passem mais tempo no local de trabalho, aumentando a interação das pessoas com os espaços.

Adriano Escanhuela/CASACOR

“Na sala de reunião maior, com mesas e cadeiras, quis muito colocar cadeiras tipo mesa de jantar”, comenta a arquiteta. Diante da negativa dos sócios, Beatriz procurou tornar a decoração menos tradicional e “com cara de datada” repensando as cadeiras e a iluminação do local.

Adriano Escanhuela/CASACOR
Continua após a publicidade
Publicidade