Vasos de Claudia Issa exploram conexão entre os mundos vegetal e mineral

A série limitada tem inspiração no processo de geração espontânea, em que os vasos menores parecem "brotar" dos maiores

Por Giovanna Jarandilha Atualizado em 15 Maio 2020, 10h44 - Publicado em 14 Maio 2020, 14h24
Divulgação/CASACOR

Claudia Issa é uma artista plástica que procura inserir pessoalidade em suas obras, conferindo-lhes significado, sempre com um traço artesanal. Sua nova série Metamorfos explora o conceito de multiplicidade, presente na natureza sob o processo biológico de geração espontânea — teoria que defendia a formação de seres vivos a partir de matéria orgânica ou inorgânica. Em seu trabalho, os vasos menores “parecem brotar” dos maiores, conta. “É uma característica vegetal que eu quis incorporar ao mineral, nesse caso, a argila”.

Divulgação/CASACOR

Cada peça tem uma característica única: a técnica de sua composição permite que os diferentes ângulos em que pode ser olhado apresente uma nova faceta, não idêntica umas às outras. A tonalidade natural retoma a proposta natural e reforça sua beleza orgânica. A coleção é composta por vários modelos, de séries limitadas.

Publicidade