Escultura de Tomie Ohtake recebe restauro em Santos

O Instituto Tomie Ohtake em pareceria com a AkzoNobel entregaram, no dia 9 de agosto, a obra restaurada da artista plástica

Por Fernanda Drumond Atualizado em 14 ago 2017, 18h10 - Publicado em 14 ago 2017, 17h28
Divulgação/CASACOR

O Instituto Tomie Ohtake em pareceria com a AkzoNobel, representada pela marca de tintas Coral no Brasil, entregaram, no dia 9 de agosto, a obra restaurada da artista plástica Tomie Ohtake, localizada no Parque do Emissário Submarino, na cidade de Santos (SP). A escultura de aço que mede 15 m de altura, é uma homenagem ao centenário da imigração japonesa no Brasil e foi inaugurada em 2008 pelo Príncipe Naruhito do Japão.

A restauração da escultura faz parte de um projeto de revitalização de outras cinco obras públicas da artista plástica em São Paulo, Santo André, Santos e Guarulhos. No processo, foram utilizados 72 litros de tinta automotiva para garantir a cor rubi original, assim como a proteção contra o clima e a maresia.

Divulgação/CASACOR

Tomie Ohtake foi convidada pela prefeitura de Santos para criar um marco para a cidade. O local onde a obra está exposta, na ponta do Aterro do Emissário, foi escolhido pela própria artista. A escultura é visível desde a Ponta da Praia até São Vicente, do mar ou por quem olha da avenida da praia. Os traços orgânicos e sinuosos atribuem um aspecto leve para a escultura que pesa cerca de 60 toneladas. Todo o peso é sustentado pela parte inferior. A execução do projeto contou com a colaboração dos arquitetos Jorge Utsunomiya e Vera Fujisaki.

“A arte da Tomie dialoga com espaços abertos, daí ter sito tão requisitada para a realização de obras públicas. Essa integração ao ambiente, na busca por tornar espaços mais humanos e inspiradores, que dialoguem com as pessoas, é o que nossas cidades precisam. Esse projeto vai ao encontro dessa necessidade”, comenta o arquiteto Ricardo Ohtake, presidente do Instituto Tomie Ohtake.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade