Instituto Casa Roberto Marinho é inaugurado no Rio de Janeiro

Novo centro cultural abre as portas ao público com exposição que reúne obras de artistas modernistas

Por Redação Atualizado em 18 fev 2020, 07h51 - Publicado em 30 abr 2018, 11h52
Reprodução/CASACOR

Está aberto ao público desde o dia 28 de abril o Instituto Casa Roberto Marinho, centro cultural localizado no bairro de Cosme Velho (RJ) e local de residência por mais de 60 anos do jornalista e proprietário das Organizações Globo. O novo empreendimento exibirá a coleção de arte de mais de 1400 peças pertencentes à família Marinho, além de abrigar exposições temporárias e uma agenda de cursos e oficinas.

A exposição de estreia é intitulada Modernos 10 – Destaques da coleção e reúne 124 obras de dez artistas modernistas, como Candido Portinari, Lasar Segall, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti. No jardim projetado por Burle Marx, destaque para as esculturas de Bruno Giorgi, Raul Mourão, Carlos Vegara, entre outros. A mostra temporária “10 Contemporâneos”, que reúne produções atuais, completa o calendário de estreia do Instituto.

Reprodução/CASACOR

A casa

O Solar do Cosme Velho é uma construção colonial datada de 1939 e, apesar da fachada rosa ter sido preservada, teve o interior todo adaptado para se adequar à função de centro cultural.

Conhecida pela beleza dos jardins e pela plumagem rosa de seus flamingos – dados por Fidel Castro em 1992 -, a propriedade vai abrigar exposições, palestras e eventos. Reprodução/CASACOR

“Na verdade, a estrutura externa se manterá quase intacta. Dentro, o desenho dos pavimentos muda, já que precisamos criar superfícies planas para as exposições. Embaixo, fica o glamouroso salão principal, com o antigo piano de cauda Steinway. Em cima, a configuração é de uma área de exposições. De resto, criaremos um novo pavilhão para a reserva técnica e ao lado haverá um bloco-escola, com cursos e atividades abertas ao público. Tudo isso envolvido pelo jardim de espécies de mata Atlântica, com esculturas e pontos de contemplação, o primeiro feito por Burle Marx para uma casa particular”, explicou à CASA CLAUDIA o arquiteto e antropólogo Lauro Cavalcanti, diretor do Instituto.

Os jardins da casa são um prolongamento da Floresta da Tijuca e foram projetados por Burle Marx. Reprodução/CASACOR

A reforma foi assinada pelo arquiteto Glauco Campello – responsável também pela restauração do Paço Imperial do Rio de Janeiro – e financiada apenas pela família Marinho, sem usar leis de incentivo ou isenção fiscal. O Instituto Casa Roberto Marinho fica na rua Cosme Velho, 1105, no Rio de Janeiro e funciona de terça a domingo, das 12h às 18h. O ingresso custa R$ 10.

Continua após a publicidade
Publicidade