100 anos de Bauhaus: instalação itinerante leva a escola para 4 cidades

Para comemorar o centenário de criação, em 2019, a instituição lança um projeto desafiador e que leva a história da escola para diversas regiões

Por Alex Alcantara Atualizado em 17 fev 2020, 16h43 - Publicado em 15 jan 2019, 13h03
Reprodução/CASACOR

A escola da Bauhaus, em Dessau, na Alemanha, foi fundada em 1919 e concebida pelo diretor fundador Walter Gropius. O intuito era incorporar os princípios fundamentais da escola e debater a arte e o design. Em 1923 a instituição foi forçada a fechar pelo crescente Partido Nazista. Hoje, o edifício funciona como um centro de design, de pesquisa e de educação, além de operar um hotel também.

Reprodução/CASACOR

Para comemorar o centenário de criação, em 2019, a instituição lança um projeto desafiador e que leva a história da escola para diversas regiões. Trata-se do Wohnmaschine (que siginifica Casa Viva). Um ônibus-prédio, de 15 m², que apresenta as mesmas características da construção original, em Dessau, projetado pelo arquiteto de Berlim Van Bo Le-Mentzel.

Reprodução/CASACOR

O ônibus apresenta as mesmas paredes de vidro quadriculadas que envolvem o edifício original, assim como o famoso letreiro que leva o nome da escola. Dentro há um espaço/apartamento, contendo uma área para abrigar exposições e oficinas, além de uma sala de leitura repleta de livros, que registram a história e o legado da Bauhaus.

Reprodução/CASACOR

O edifício móvel viajará por quatro cidades: Dessau, Berlim, Kinshasa (República Democrática do Congo) e por fim Hong Kong. Durante o tour de 10 meses, o coletivo de design Savvy Contemporary ministrará uma série de simpósios e workshops, que tentam desafiar e “desaprender” as atitudes coloniais em relação à modernidade, para desenvolver uma interpretação mais global dos ensinamentos da escola.

Reprodução/CASACOR

Aberta ao público, a instalação começa com quatro oficinas em Dessau, entre 4 e 22 de janeiro, explorando a relação entre colonialismo e modernidade. “Vamos enfrentar as relações de colonialidade e design, bem como suas várias visibilidades e invisibilidades”, explicaram os profissionais da Savvy Contemporary.

A Wohnmaschine estará em Berlim entre 24 e 27 de janeiro para coincidir com o festival de abertura 100 Years Bauhaus, antes de chegar a Kinshasa para workshops entre 4 e 12 de abril. Cinco representantes das oficinas em Kinshasa viajarão de volta a Berlim para compartilhar suas pesquisas com 40 estudantes na sede da Savvy Contemporary, entre 22 de julho e 18 de agosto.

Continua após a publicidade
Publicidade