Biblioteca faz uma viagem ao interior das fazendas e açudes cearenses

Projeto de Erico Monteiro para a CASACOR Ceará, a biblioteca foi inspirada pelo açude Paraíso e usou de elementos-chave para trazer o clima rural à mostra

Por Giovanna Jarandilha 29 jun 2020, 15h55

A aparência rústica, com muita madeira, a base desconstruída e o foco em sustentabilidade garantiram o sucesso da Biblioteca Paraíso na CASACOR Ceará 2019. Concebido por Érico Monteiro, o projeto prestou homenagem aos 100 anos do empresário e senador José Dias de Macêdo, que possuía um açude na fazenda Canhotinho chamado Paraíso. Desse açude, do ambiente rural e do clima interiorano, nasceu a Biblioteca Paraíso, que foi premiada como o Melhor Ambiente da 21ª edição da mostra.

Fazendo das paredes brancas seu ponto de partida, o projeto proporcionou uma experiência aos visitantes da mostra, como se os transportasse para um estábulo ou um celeiro. Para isso, foram utilizados elementos-chave, e teto e portas foram restaurados e limpos. Além disso, o gradio de madeira que já estava no local, cumprindo a função de segurar os lambris da casa, passou a exibir objetos de decoração e obras de arte.

Publicidade