Relatório aponta que restam 29 anos para salvar o oceano do plástico

O relatório determina que todos os países deverão tomar ações imediatas para reduzir o descarte de plástico no oceano

Por Redação Atualizado em 23 jul 2021, 15h44 - Publicado em 25 jul 2021, 10h00
plastico no mar
Reprodução/CASACOR

Um novo relatório publicado pela Pew Charitable Trusts intitulado “Quebrando a onda do plástico – uma avaliação abrangente de caminhos para impedir a poluição do plástico nos oceanos” (breaking the plastic wave — a comprehensive assessment of pathways towards stopping ocean plastic pollution, em inglês) reforça a urgência de implementar medidas drásticas para impedir o aumento da quantidade de plástico nos oceanos até 2050 – ou seja, daqui a 29 anos.

O relatório é uma análise global inédita que aponta a possibilidade de cortar em 80% o fluxo anual de descarte de plástico no oceano nos próximos 20 anos, apenas aplicando soluções e tecnologias já existentes. Segundo o documento, as regulamentações atualmente se concentram em itens específicos, como reciclagem ou descarte, mas o estudo indica que serão necessários esforços coletivos para eliminar o uso de plástico.

plastico no mar
Reprodução/CASACOR

Assim, o estudo sugere que é necessário reduzir o uso de plástico e encontrar substitutos para ele, além de melhorar nossas práticas de reciclagem, expandir a coleta de lixo e evitar vazamento de plástico em instalações descartáveis.

Já existem muitas tecnologias para enfrentar esse desafio, mas o que falta é infraestrutura, políticas e financiamento. A ideia é que haja um investimento na produção de novos plásticos para o desenvolvimento de sistemas de reutilização e recarga, materiais substitutos sustentáveis, melhores instalações de reciclagem, mais infraestrutura de coleta e novos métodos de entrega.

“Quebrar a onda de plástico exigirá que cada nação faça a sua parte, mas de maneiras diferentes. Os países de renda média e baixa devem se concentrar na expansão da coleta de lixo plástico, maximizando a redução e a substituição, investindo em infraestrutura de triagem e reciclagem e reduzindo o vazamento em aterros. Os países de alta renda devem incentivar a redução no uso de plástico, aumentar as taxas de reciclagem, acabar com as exportações de resíduos de plástico e resolver o vazamento de microplásticos”, afirma o relatório.

Para ler o arquivo completo, acesse aqui.

Fonte: Designboom

Continua após a publicidade
Publicidade