Última chamada Casa Daros

No bairro de Botafogo no Rio de Janeiro, a casa do "homem que se eleva", tradução de Daros no idioma grego, se despede do país nas próximas semanas

Por Heloisa Amaral Peixoto Atualizado em 3 mar 2017, 16h03 - Publicado em 2 dez 2015, 14h14

Distraídos com a agitação de final de ano e com os impactos dos acontecimentos no Brasil e na esfera global pouco iremos perceber a saída de cena no próximo dia 13 deste mês. 

Visitantes na cidade e cariocas que conseguirem redirecionar suas agendas nesse curto período se sentirão gratificados por desfrutar da mostra Cuba-Ficção e Fantasia escolhida para encerrar as suas atividades no país.

Seus curadores selecionaram 140 obras do acervo da coleção Daros Latinoamerica , são pinturas, desenhos, fotografias, instalações, vídeos e performances de 17 artistas cubanos, dos quais a maioria vive e trabalha em Havana.

Temas como: contradições, tensão entre desejo e realidade, vida cotidiana, condição da mulher e religiões afro-cubanas estão presentes nas obras de Ana Mendieta, José Bedia, Lazaro Saavedra, Rene Francisco, Tania Brugrera entre outros.

Como destaques do conjunto estao “Granada de mano” uma imensa peca em madeira de 2 m de altura assinada pelo internacional e celebrado coletivo Los Carpinteiros, (uma sala especial oferece mais da sua produção) e “violentad de poder” de Yoan Capote onde a funcionalidade de uma escada paradoxalmente significa instabilidade. Nos dois casos a interação do expectador com o objeto é imediata e as metáforas dos riscos e das impossibilidades se transformam.

Apesar das adversidades que prevalecem na ilha como o isolamento, a liberdade de expressão, as restrições econômicas e dificuldades até mesmo para comprar material de trabalho o panorama artístico prospera em Cuba.

Continua após a publicidade

Bem mais breve do que poderíamos imaginar a Daros se despede deixando a herança de uma rica experiência como centro aglutinador de arte pensada e produzida nos países latinos e de ser responsável por devolver a paisagem urbana da cidade uma bela construção arquitetônica do século 20 de impecável restauro.

Vamos sentir a ausência dos nossos amigos de Zurique… de consolo teremos a partir de janeiro um site produzido pela Instituição disponibilizando a sua biblioteca virtual e todo material em vídeo produzido durante o seu período de atividade, preciosidades tais como uma conversa com o marchand Jean Boghici (1928-2015) e o curador da casa Hans Michel Herzog. 

 

11111

casadaros2

casadaros

Continua após a publicidade
Publicidade