Artboard Created with Sketch.

Olegário de Sá e Gil Cioni assinam projeto para amantes de bicicleta

A Bicicletaria localizada na Faria Lima, 2744, possui 400 m², um estilo industrial e é o local certo para os amantes da magrela!

Uma bicicletaria, provavelmente, deve ser o local mais adorado pelos amantes de bicicletas. Porém, quando a decoração, a arquitetura e o design ampliam ainda mais essa paixão, o resultado é de tirar o fôlego até para quem não anda de magrela. Por isso, Olegário de Sá e Gil Cioni, ao assinarem o projeto da Bicicletaria Faria Lima, em São Paulo, não foram “discretos” com toda a temática do local.

01-bicicletaria-faria-lima

 (/)

Para quem passa na frente da loja, já repara no estilo industrial que o estabelecimento possui. Nos 400 m², o cinza, o concreto aparente, os tijolos de demolição, as estruturas e vigas metálicas, madeira de pinus, além do vidro, fazem-se presentes e dão o tom do projeto. “Tudo muito bem pensado para quem gosta, aprecia e entende de bicicletas”, explica Olegário.  

05-bicicletaria-faria-lima-thumb

 (/)

Na entrada, o cliente se depara com uma oficina mecânica onde é possível visualizar a montagem e o conserto da bicicleta. Isso com conforto, em banquinhos que recebem assentos de selins de bike. 

03-bicicletaria-faria-lima

 (/)

Além do conserto, quem visita a loja pode adquirir, no 2º pavimento, objetos e acessórios como camisetas, uniformes, bonés e afins que estão à venda e dividem espaço com uma grande tevê destinada à estudos de performances e testes com bikes.

02-bicicletaria-faria-lima

 (/)

Prezando pelo convívio, o terceiro e último andar é destinado a eventos e encontros, que pode ser acessado pelo elevador que comporta tanto os clientes como suas bikes, isso possível graças a sua construção em uma caixa de corrida com estrutura metálica, vigas e pilares aparentes além do sistema de contraventamento. Por todo lugar, bicicletas estão espalhadas, inclusive numa caixa de 6 m² de altura.

Para fechar, o grafite na parede e piso de paralelepípedo remetem às ruas da cidade, lugar onde as bicicletas, de fato, circulam.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.