CASA COR MS apresenta sede para a imprensa, profissionais e parceiros

O evento que aconteceu na manhã desta terça-feira (23/02) apresentou à imprensa, profissionais e parceiros a nova sede, detalhes da mostra e o Master Plan com os ambientes da edição

Por Redação Atualizado em 3 mar 2017, 15h59 - Publicado em 23 fev 2016, 18h52
00-lancamento-sede-casacorms2016

Reconhecida como a maior e melhor mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas, a CASA COR comemora 30 anos de edição com o tema “A Casa em Festa”. O objetivo é criar experiências que inspirem, emocionem e transformem a casa como um verdadeiro espaço para celebrar a vida. 

01-lancamento-sede-casacorms2016

Dentro dessa atmosfera de celebração, as franqueadas Luciane Mamoré, Tatiana Ratier e Dilma Bernardes apresentaram o imóvel da quarta edição da CASA COR Mato Grosso do Sul, que acontecerá na residência da família Dibo, localizada na avenida Afonso Pena e projetada pelo arquiteto Rubens Gil de Camillo (1934-2000). O evento foi destinado à imprensa, arquitetos, designers, paisagistas e empresários com detalhes sobre a mostra e conhecimento do Master Plan, projeto com os ambientes da edição de 2016.

A mostra sul-mato-grossense será realizada entre os dias 29 de julho a 11 de setembro e terá 30 ambientes, reforçando o aconchego do lar e a celebração de reunir a família e amigos. “Nosso cenário é muito positivo, temos um imóvel maravilhoso, com os 30 anos da franquia vivemos um momento especial da marca que tem muita credibilidade no mercado nacional e internacional. O elenco de CASA COR é sempre diferenciado, reunimos profissionais incríveis e uma equipe formidável. Temos certeza que em 2016 vamos repetir esse sucesso,” afirma a diretora executiva, Tatiana Ratier.

Além de apresentar uma casa tradicional de família, com todo o valor e aconchego que isso significa, a CASA COR MS 2016 resgata também a obra de um dos nomes mais importantes da arquitetura sul-mato-grossense. Rubens Gil de Camillo se preocupava em criar uma linguagem arquitetônica característica do estado, adequados ao modo de vida da população e dos aspectos físicos e bioclimáticos, que fez com que sua obra ocupasse destaque na produção modernista brasileira. O imóvel, erguido na década de 1980, conta com 1,8 mil m² de área construída em um terreno de 2 mil m². 

Em Campo Grande é possível conhecer alguns de seus projetos, como os edifícios Arpoador e Ipanema (que têm os jardins projetados pelo paisagista Burle Marx), o Solar do Pantanal, a sede da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) e o Centro de Convenções no Parque dos Poderes que leva seu nome.

A emblemática residência abrigará: fachada – bilheteria e jardim de entrada, lounge garagem, espaço kids, living, lavabo, loft, escritório, jantar, sala de convívio, terraço, quarto casal, banho casal, apartamento de menina, banho menina, sacada, quarto rapaz/jovem executivo, banho rapaz, quarto bebê, banho bebê, mini gourmet, foyer (elevador), estúdio criativo, espaço pet, cozinha, restaurante funcional, banhos públicos, café, delicatessen, praça de eventos, spa ou varanda gourmet e gourmet (bar e balada).

Continua após a publicidade
Publicidade