Michel Farah, o paisagista parceiro do projeto Janelas CASACOR

Farah e a empresa Farah Service ajudaram a viabilizar a implementação do Janelas CASACOR nas áreas urbanas e as doações dos projetos

Por Ana Carolina Harada Atualizado em 13 jan 2021, 14h30 - Publicado em 13 jan 2021, 08h00
Retrato Michel Farah
Rafael Renzo/CASACOR

Em 2020, a CASACOR apresentou uma nova maneira de se pensar o morar: o projeto phygital Janelas CASACOR. Pela primeira vez, as criações dos arquitetos e designers convidados ocuparam as ruas na forma de vitrines instaladas em contêineres, as quais podiam ser visitadas gratuitamente, tanto online quanto presencialmente. Uma grande novidade foi que alguns dos projetos ficaram como espaços culturais e sociais permanentes para as cidades.

View this post on Instagram

A post shared by Farah Service (@farah.service)

Nos bastidores dessa iniciativa inédita, está o paisagista Michel Farah, elenco e parceiro de longa data da CASACOR. Michel e a Farah Service – empresa com mais de 30 anos de experiência em serviços de gestão e revitalização de áreas verdes e melhorias urbanas a nível nacional e internacional – colaboraram na criação e execução deste formato inédito de se apresentar arquitetura, pensando também na responsabilidade social.

home office e biblioteca com estante em zigue-zague em madeira. Poltrona no canto direito, mesa com cadeira no esquerdo. Mesa de centro baixa
A Caixa de Histórias, assinada por Gustavo Martins, irá se transformar em biblioteca na Vila Andrade – Associação Morumbi de Integração Social. Salvador Cordaro/CASACOR

“Acredito que nossa maior contribuição o Janelas CASACOR foi poder viabilizar os acessos e as permissões às áreas públicas estratégicas para a realização dos projetos remotos. Fizemos questão de incluir no circuito áreas periféricas que vão se beneficiar muito das melhorias não só durante, mas também depois do fim das exposições”, conta Michel Farah, fundador e CEO da Farah Service. 

Galeria Fazendinhando iluminada. Totens coloridos com plantas a frente
A Galeria Fazendinhando, de Ester Carro, Veronica Vacaro e Plantar Ideias , foi construída no Jardim Colombo e funciona como ponto cultural e de convivência para a comunidade Leka Mendes/CASACOR

A Farah Service possui expertise de trabalhos urbanos, envolvendo gestão de espaços públicos e recuperação de áreas e desenvolvimento social. Desde março de 2020, além de centenas de praças cuidadas pela Farah, a empresa também assumiu, com a ajuda de parceiros importantes, a gestão da  Ciclovia do Rio Pinheiros. 

Cuba em primeiro plano com bancada e pufes ao fundo
O Ateliê Sukha, de Gustavo Neves, fica para o Centro Cultural do Hip Hop, na Cidade Tiradentes, como espaço criativo. Reprodução/CASACOR

Do início da atuação até agora, a empresa retirou mais de 100 toneladas de lixo, recapeou e sinalizou as pistas, colocou novas placas de orientação aos usuários, guaritas de alvenaria com banheiro e ar-condicionado e refez a jardinagem e poda em toda extensão da Ciclo.

Contêiner da cozinha comunitária de frente, com deck, em primeiro plano; da esquerda para a direita: geladeira, bancada e torre de eletros ao fundo.
A Cozinha Comunitária Alimentação Saudável Sacolão Freguesia do Ó foi assinada pela FAU+D Acolhe, da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), com coordenação do arquiteto Rodrigo Loeb. Salvador Cordaro/CASACOR

Com o encerramento e sucesso da primeira edição do Janelas CASACOR e também de um ano de incontáveis desafios, é possível refletir sobre as conquistas e os novos horizontes a serem traçados na arquitetura, paisagismo e decoração. Confira a entrevista de Michel Farah sobre sua vivência de concretizar o Janelas CASACOR.

Continua após a publicidade

O que motivou sua participação no Janelas CASACOR?

A Farah tem uma grande expertise no desenvolvimento e produção de projetos em logradouros públicos, e a ideia de pluralizar a arquitetura de qualidade por toda a cidade nos fez ficar ainda mais apaixonados pelo projeto, que foi um grande sucesso. 

Como surgiu a ideia de doar alguns contêineres do Janelas CASACOR para a cidade de São Paulo?

A ideia do Janelas CASACOR foi desenvolvida em parceria entre a Farah Service e a própria equipe da CASACOR como uma solução para que a mostra ocorresse nessa época de pandemia, então a solução encontrada foi levar módulos da exposição já conhecida para permear toda a cidade. 

Essa solução permitiu que a renomada exposição acontecesse e também aumentasse o público que teria a participação da exposição em seu formato tradicional! Acredito que a ideia só agrega valor à exposição tradicional. 

Qual você acredita ser o papel do paisagismo na arquitetura das casas e das cidades do pós-pandemia?

A pandemia trouxe um novo olhar para os lares, onde as pessoas que às vezes mal ficavam em casa, passaram a “habitá-las” todos os dias e com isso buscam mais conforto, não apenas físico mas mental também. A introdução de um paisagismo nos lares traz isso, essa sensação de conforto e transforma uma casa em um lar, dando vida e alma para o seu lar. 

Em relação ao paisagismo nas cidades, acredito que é uma forma de dar “boas-vindas” às pessoas, para que possam inclusive usufruir mais das áreas públicas, afinal as ruas da sua cidade são sua casa também

Qual o legado (material e imaterial) que o Janelas CASACOR deixa para a cidade?

Que podemos compartilhar conhecimentos, que as cidades precisam de olhares diferentes para motivar o coletivo a pensar, questionar e inspirar-se.

Continua após a publicidade
Publicidade