Lina Bo Bardi ganha exposição no Maxxi de Roma

A mostra é composta por instalações em vídeo e fotografias do cineasta Isaac Julien, e conta com a participação de Fernanda Montenegro e Fernanda Torres

Por Redação Atualizado em 26 out 2020, 15h19 - Publicado em 26 out 2020, 15h18

O Museu Nacional das Artes do século 21, em Roma, assinado por Zaha Haddid, acaba de inaugurar mais uma exposição em homenagem à arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi. Chamada Lina Bo Bardi – Un meraviglioso groviglio (Lina Bo Bardi – um maravilhoso emaranhado), a mostra possui a curadoria de Luigia Lonardelli e fica aberta ao público até o dia 17 de janeiro de 2021.

Todo o projeto foi inspirado pela célebre citação da arquiteta “O tempo linear é uma invenção Ocidental. O tempo não é linear, é um maravilhoso emaranhado no qual, a cada momento, pode-se escolher pontos e inventar soluções, sem início nem fim”. Assim, o objetivo foi construir um cenário em que o passado e presente, tanto de Lina quanto de seus trabalhos, pudessem se misturar e dialogar.

Para isso o cineasta inglês Isaac Julien criou nove instalações em vídeo, além de uma série de fotografias nas quais uma junção de ficção e realidade compõem uma linha do tempo não linear.

Roma, Museo del MAXXI 22 09 2020
Opening della mostra
ISAAC JULIEN. LINA BO BARDI — UN MERAVIGLIOSO GROVIGLIO
©Musacchio, Ianniello & Pasqualini Reprodução Maxxi/CASACOR

As filmagens foram feitas em vários locais do Brasil, incluindo o Museu de Arte de São Paulo, o Museu de Arte Moderna da Bahia e o Teatro Gregário de Matos de Salvador. Merece destaque especial a participação de Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, ambas interpretando Lina nos vídeos.

As duas atrizes, mãe e filha, dão vida às obras, reaproximando-as de alguma forma com sua criadora. Nos vídeos em que conversam, elas conseguem concretizar o maravilhoso emaranhado que era o universo de Lina Bo Bardi.

Continua após a publicidade
Publicidade