Sustentabilidade

Construções sustentáveis: o que são e projetos que aderem a tendência

Materiais como bambu e isopor® e sistemas construtivos como Steel e Wood Frame se destacam. Conheça outras apostas e o trabalho desenvolvido pela CASACOR

por Yeska Coelho Atualizado em 12 fev 2021, 17h00 - Publicado em
12 fev 2021
10h14

As construções sustentáveis vieram para ficar! Como uma maneira inovadora de misturar design de qualidade com materiais ecológicos, alguns estúdios já vêm entendendo essa tendência e aplicando-a de maneira estratégica em seus projetos.

Quando falamos em construções sustentáveis, é fundamental ter em mente que podem ser empreendimentos que aplicam o conceito em pontos específicos ou mesmo utilizam para toda a parte de infraestrutura .

Isso conversa bastante com o conceito de arquitetura sustentável (ou bioclimática). Antigamente, os povos se preocupavam com as questões relacionadas a natureza, ao meio ambiente e ao clima. Contudo, a partir do século XX uma onda de expansão das cidades toma conta do cenário e faz com que esse ideal sustentável na arquitetura se perca para dar espaço a uma urbanização agressiva.

Com um impacto na natureza muito forte, ainda no século passado as ações começaram a ser revistas, e a ideia de investir em construções sustentáveis se mostra como uma verdadeira necessidade.

A partir da década de 90, as construções sustentáveis ganharam notoriedade e órgãos internacionais começaram a disseminar essa filosofia. Nessa época, as crenças sobre o aquecimento global já estavam bem mais disseminadas, o que contribuiu para reforçar a importância desse tipo de obra para o bem estar do planeta e das pessoas.

Continua após a publicidade

O que são construções sustentáveis?

-
Projeto: Duda Porto/ Foto: Denilson Machado/CASACOR

As construções sustentáveis são todas aquelas que utilizam técnicas ou materiais ecológicos para a criação de empreendimentos – tanto residenciais como comerciais – criando uma harmonia e respeito com a natureza e o meio ambiente como um todo.

Mas vai muito mais além!

Não basta só pensar na matéria-prima ideal para as construções. É importante idealizar e planejar toda uma metodologia para uma pegada mais sustentável. Gerir os processos de forma a otimizar tempo e economizar em recursos é um exemplo de como garantir uma melhor prática sustentável durante a obra.

Por que investir em construções sustentáveis?

O Brasil ocupa a 4ª posição como país que mais investe em prédios verdes no mundo todo. Esse índice é bastante positivo e demonstra que já existe uma preocupação dos profissionais brasileiros da arquitetura e da construção civil em fazer uso de materiais mais sustentáveis.

Por outro lado, ainda que essa pauta já esteja sendo debatida desde o início dos anos 90, o consumo energético do segmento assusta. De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), a construção civil consome praticamente metade do total de quilowatts produzidos no planeta.

-
Jekaterina Nikitina/CASACOR

E quando olhamos para o Brasil, o índice segue alarmante. De acordo com um levantamento feito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mais de 40% de toda energia elétrica consumida no país é destinada para o setor construtivo – dividida de forma não igualitária entre projetos residenciais, públicos e comerciais.

Analisando esses dois índices em relação ao nosso país, podemos chegar a uma conclusão: os profissionais já entenderam a relevância em optar por materiais de qualidade e de caráter sustentável, no entanto, a gestão do projeto e a economia em eletricidade continua sendo uma grande dificuldade.

Para isso, contar com o apoio da tecnologia e de metodologias ágeis aplicadas a arquitetura podem se mostrar eficientes.

Continua após a publicidade

Sustentabilidade no CASACOR

Ao longo dos anos, a criação de projetos sustentáveis vem se mostrando como uma pauta importante, impactando diretamente o trabalho de arquitetos e outros profissionais da construção civil no mundo inteiro.

Pensando nisso, o CASACOR também assumiu essa responsabilidade e vem se aprimorando cada vez mais para cumprir seu papel sustentável como uma verdadeira comunidade de profissionais para expor seus trabalhos e mostrar o que há de novo para o setor.

A CASACOR São Paulo está rumo à certificação ISO 14.001: 2015. A norma (versão 2015) tem o objetivo de ajudar e padronizar processos para gerenciar riscos ambientais como parte da estratégia de negócio.

Darlan Firmato
Darlan Firmato Rafael Renzo/CASACOR

À frente da iniciativa, o arquiteto e gestor de sustentabilidade da CASACOR SP, Darlan Firmato relaciona os pontos principais que irão compor o passo a passo para garantir o certificado. São eles:

1- Estabelecer uma Política Ambiental: para informar o posicionamento da empresa com os objetivos futuros e todas as ações já desenvolvidas;

2- Planejamento: Identificar e priorizar as ações sustentáveis que CASACOR deve atender, bem como as metas por edição do evento;

Continua após a publicidade

3- Execução: Início da padronização ISO 14.001 – já contemplada em 2019 – para auxiliar nos procedimentos tendo o auxílio da Inovatech.

4- Revisão e ação: agora em 2020 o plano é de registrar todas as ações do CASACOR na norma padrão e passar pela auditoria para conseguir a certificação. Dessa forma, também fazer o controle ambiental das ações.

Para conferir o relatório de sustentabilidade do CASACOR São Paulo 2019, basta clicar aqui!

Arquitetura sustentável no CASACOR São Paulo

Investir em tecnologia aliada a arquitetura é a proposta principal da SysHaus. Para ilustrar o propósito sustentável do CASACOR São Paulo, nada menos do que um projeto de Arthur Casas que foca em soluções ecológicas para criar uma atmosfera aconchegante.

-
Divulgação/CASACOR

Investindo em um sistema modular, o projeto de alto padrão ficou pronto em menos de um mês. A ideia foi fazer um planejamento inteligente para estruturas as principais necessidades que o design seria capaz de suprir.

-
Filippo Bamberghi/CASACOR

O empreendimento de 200 m² contou com uma estrutura de pilares, vigas e parafusos de aço dispensa fundação e concretagem. Tudo é encaixado, do piso ao forro e o projeto foi feito praticamente todo planejado em marcenaria.

-
Filippo Bamberghi/CASACOR

Além disso, 100% dos materiais utilizados são recicláveis, e há uma cobertura verde, que contribui naturalmente para o conforto térmico e acústico, dando-se o máximo respeito à natureza em todos os processos da construção sustentável.

Continua após a publicidade

Tecnologia e construção civil

Plataformas digitais que investem em inteligência artificial se tornaram verdadeiros braços direitos para agilizar as obras e tornar os processos mais rápidos e com menos erros.

-
MF+arquitetos/CASACOR

Os renderes ultrarrealistas são prova disso. Eles basicamente tem a capacidade de transformar imagens de um projeto 2D em tridimensionais. Isso faz com que a visão de como ficará a obra depois de pronta seja mais palpável, dando ao arquiteto a chance de fazer mudanças de maneira mais precisa antes da construção começar.

Gestão ágil na arquitetura

A China é um exemplo prático de gestão de projetos na arquitetura. Exemplo disso é a construção do T30 Hotel, assinado pela Broad Group. Em 15 dias o prédio foi entregue contendo 30 andares e 328 m de altura.

A filosofia chinesa consiste em investir mais tempo na estruturação do projeto, entender os riscos, definir o time responsável e as entregas em sprints do que necessariamente na mão de obra.

Dessa forma o custo operacional é menor e o gasto energético também, fazendo um processo construtivo de fato mais sustentável e econômico.

Trazendo para uma experiência brasileira, o arquiteto Duda Porto exibiu no CASACOR São Paulo 2019 sua Casa Lite: um projeto sustentável criado em 40 dias.

-
Projeto: Duda Porto/ Foto: Denilson Machado/CASACOR

O projeto teve como objetivo criar um espaço planejado de maneira eficiente, em que cada detalhe fosse pensado para aproveitar materiais, transporte e integração do homem com a arquitetura. 

Continua após a publicidade

Steel e Wood Frame

O Wood Frame é um sistema de construção que tem como principal pilar a estruturação de um projeto eco-friendly sem geração de resíduos.

Esse tipo de projeto reduz consideravelmente o desperdício com matérias-primas e recursos como a água, por exemplo.

-
Mariana Boro/CASACOR

O projeto Casa Grigio, assinado por Cris Passing e exibido no CASACOR Santa Catarina 2018, mais de 90% das paredes externas são feitas de vidro, o que traduz uma maior integração com o lado de fora e com a natureza, bem como gera poucos resíduos na edificação.

Já o Steel Frame é um sistema de armações formadas por perfis de aço que dão corpo à estrutura do empreendimento.

Para substituir blocos de cerâmica ou concreto, placas cimentícias fazem os fechamentos externos, enquanto o gesso acartonado se responsabiliza por esse papel no interior da edificação.

Um exemplo de construção que fez uso da técnica e investiu em um visual moderno foi o projeto Modern House Karsten, de Mariana Paula Souza que foi exibido no CASACOR Paraná 2018.

-
Divulgação/CASACOR

Nesse projeto, a natureza é preservada utilizando a técnica de Steel Frame, por meio de uma construção seca pouco agressiva. 

Continua após a publicidade

Materiais sustentáveis

As matérias-primas ecológicas são as protagonistas para dar forma às construções sustentáveis. Para serem efetivas, elas precisam contar com boa resistência e durabilidade, já que afinal, a ideia é criar empreendimentos verdes e econômicos sem abrir mão da qualidade do projeto.

A seguir, conheça os principais materiais sustentáveis mais utilizados atualmente:

Madeira Plástica

Deck feito em madeira plástica no projeto Casa JY de Arthur Casas
Deck feito em madeira plástica no projeto Casa JY de Arthur Casas Fernando Guerra/CASACOR

O plástico texturizado em madeira é uma solução esperta para quem deseja um design acolhedor, sem abrir mão de uma pegada mais sustentável.

Podendo ser usada tanto no piso como em revestimentos na parede, a madeira plástica é feita com plástico reciclável, e além do aspecto ambiental, ela tem outras vantagens como evitar cupim, fácil limpeza e menor necessidade de manutenção.

Bambu

-
Projeto: Chiangmai Life Architects/CASACOR

O bambu é um material leve e resistente extraído da natureza. Ele é um ótimo aliado em construções em que existe a incidência de enchentes, sendo também um material de custo acessível, mas poucos profissionais especializados.

Continua após a publicidade

Isopor®

-
Projeto: Bia Gadia/CASACOR

O Isopor® é uma matéria-prima composta por 98% de ar e apenas 2% de plástico. Isso significa que se trata de um material totalmente reciclável.

Na construção civil, segmento que mais consome Isopor®, o material pode ser incorporado desde estruturas como paredes, telhas e lajes, até revestimentos como forro, sancas e rodapés.

Adobe de argila

-
Projeto: Jennifer Isasi, Lorena Caballero e Yvonne Isasi/CASACOR

Fazer o uso de blocos de adobe de argila é uma maneira esperta de conciliar bom gosto, estilo natural e sustentabilidade nos projetos.

Por ser incorporado com fibras, esses blocos costumam ser até mais resistente do que modelos mais tradicionais e, por essa razão, é uma boa pedida para construções sustentáveis.

Telhado verde

-
Projeto: Arhtur Casas/ Fernando Guerra/CASACOR

O telhado verde – ou telhado ecológico, como também é chamado – é uma construção que permite a formação de plantio e hortas na parte superior de uma casa ou prédio. Dessa forma melhorando vários aspectos na saúde dos moradores e visitantes.

Esse tipo de construção além de ser mais sustentável, também faz a purificação do armelhora o sistema de drenagemreduz a sensação térmica e a temperatura local (evapotranspiração das plantas) e de quebra garante melhor isolamento acústico. 

Continua após a publicidade

O uso do Isopor® para construções sustentáveis

O Isopor® é um material muito procurado para projetos de arquitetura atualmente, afinal, ele facilita de várias maneiras a criação de construções sustentáveis: desde ser um produto leve e de fácil manuseio (o que agiliza tempo de obra) até sua característica 100% reciclável por pertencer à família dos plásticos.

-
Divulgação/CASACOR

O uso do poliestireno expandido (EPS) na construção civil é muito eficiente pelas razões já citadas e outras também. De acordo com Lucas Oliveira, Gerente de Produtos e Inovações da Knauf Isopor®, “trata-se de um material configurável, que pode ser utilizado conforme a necessidade do projeto, seja para soluções geotécnicas, estruturais ou para decoração”.

A Knauf Isopor® foi a empresa responsável por registrar o material no Brasil e é hoje a maior fabricante de EPS no mundo todo.

Projeto Bia Gadia com paredes feitas em EPS
Projeto Bia Gadia com paredes feitas em EPS Divulgação/CASACOR

Ainda segundo Oliveira “o Isopor® pode ser utilizado em qualquer fase da construção, sendo um excelente isolante térmico e acústico. Outra vantagem é que ele é facilmente incorporado com outros materiais, tais como: plástico, madeira ou concreto, além da ótima resistência mecânica que proporciona”.

Aplicação do Isopor® em projetos ecológicos

-
Divulgação/CASACOR

A aplicação do poliestireno expandido na construção civil acontece de várias formas. A seguir, separamos as principais:

1. Lajes: vantajosas por terem um consumo baixe de concreto e ferragens, as lajes se destacam por oferecerem máxima economia em recursos e mais praticidade quando comparadas a modelos tradicionais. Vale mencionar que o material também tem baixa absorção de água, o que evita a presença de morro na unidade;
2. Forros: podendo ser aplicados em qualquer tipo de obra, o principal benefício é que os forros oferecem conforto térmico e acústico, o que faz com que nos dias mais quentes exista uma menor necessidade de utilizar o ar condicionado;
3. Pavimentação de terrenos: indicado principalmente para solos moles (como mangues ou de origem fluvial);
4. Telhas: substituindo os modelos tradicionais de cerâmica, as telhas em EPS absorvem menos energia térmica e evitam infiltrações e goteiras com maior precisão;
5. Elementos estruturais: uso em paredes, balcões, pilares ou colunas de uma construção.

Continua após a publicidade

Construções em Bambu

O bambu vem fazendo bonito em diversos projetos arquitetônicos por ser um material nobre e muito versátil, além de um apelo estético impecável.

Por trazer um clima agradável e um visual aconchegante, o uso do bambu é bastante atrelado à construções sustentáveis.

biblioteca com laje feita em bambu

Podendo ser aplicado principalmente em estruturas – como paredes, telhas e telhados – as construções em bambu são muito ricas. A fundação exige um nível baixo de concreto e o material é bem fixado no solo para evitar a presença de umidade.

Até em instalações elétricas o bambu se mostra um forte aliado! A aplicação é equivalente a de uma obra convencional.

Um estúdio que se destaca por suas construções de alto padrão em bambu é o Chiangmai Life Architects. Especialistas, eles utilizam o material em projetos estruturais, visando uma agilidade no processo construtivo, bem como um design diferenciado e atraente.

-
Projeto: Chiangmai Life Architects/CASACOR

Apesar de sua vantagem ecológica, alguns problemas ainda são relacionados ao uso do material no Brasil para projetos arquitetônicos, como:

  • Falta de mão de obra especializada para o manuseio da matéria-prima;
  • Alto custo;
  • Material inflamável;
  • Falta de normas e padrões para determinar os tamanhos na construção.
Continua após a publicidade

6 atitudes sustentáveis para sua casa

Criar construções sustentáveis é um passo grande para uma modernização no processo de arquitetura, e uma verdadeira tendência que vem se tornando real a cada dia.

Mas, existem atitudes que podem ser incorporadas ao dia a dia do lar que garantem uma casa mais ecológica.

A seguir, confira 6 dicas de Luiz Henrique Ferreira, da Inovatech,  para tornar o seu lar mais sustentável 

1- Materiais duráveis

Fazer o uso dos revestimentos e materiais corretos para compor um projeto é uma escolha importante para garantir maior equilíbrio com o meio ambiente. Segundo Luiz, qualquer tipo de material pode ser sustentável se bem empregado.

O uso da madeira certificada pode ser usada com maior abundância na construção civil – mas é preciso ter cuidado para não aplicá-la em locais de alta manutenção, como decks molhados.

O aço acaba sendo uma opção viável por ser mais fácil de reciclar do que o concreto, mas em termos de desempenho térmico, o concreto ganha.

2- Pisos e revestimentos

Os pisos e os revestimentos também precisam de cuidados para uma escolha mais consciente. É importante optar por modelos que estejam de acordo com o clima da casa para trazer aconchego.

Nos climas quentes e secos, a ventilação com retenção de umidade precisa ser priorizada e em climas secos e frios, o isolamento térmico deve ser a prioridade para garantir o conforto.

3- Reutilização da água

Reduzir o consumo de água em casa é uma prática mais do que recomendada. Dessa maneira, é possível garantir que esse bem natural seja preservado.

Continua após a publicidade

Em um segundo momento, é possível pensar em cogeração de energia e reutilização de água. O mais comum é o sistema de aproveitamento de água da chuva, que dependendo dos índices pluviométricos e necessidade de água não potável da residência, pode dar retorno em menos de um ano.

4- Melhor aproveitamento energético

Pensar em estratégias de reduzir o consumo de energia elétrica é uma ideia esperta quando o assunto é uma pegada mais sustentável.

As formas mais sustentáveis de obter energia são através de painéis solares e sistemas fotovoltaicos. O primeiro, que esquenta a água, dá retorno entre 2 e 5 anos, e o segundo, que gera energia elétrica, dá retorno entre 5 e 10 anos.

5- Vegetação

É importante escolher espécies que se adaptem ao clima da região onde você vive, até pensando na demanda de água e irrigação que a plantação irá exigir.

Nesse caso, o telhado verde é uma excelente opção, pois ele isola o calor e ainda oferece a oportunidade de criar sua própria plantação.

O uso de vegetação no entorno da casa é mais simples e demanda menos trabalho, mas deve ser escolhido de acordo com o tipo de construção, seja esta térrea ou não. No segundo caso, espécies mais altas são boas apostas.

6- Reduza os resíduos

Fazer o uso de uma composteira pode ajudar a reduzir resíduos orgânicos dentro de casa e o melhor, dando nova função a eles.

O local mais adequado para posicioná-la é em uma sombra na área externa da residência.

 

Continua após a publicidade