Faina lança uma coleção em homenagem à flor nacional da Ucrânia

A coleção Soniah inclui uma arandela, luminária de piso e pendente em diferentes alturas e tamanhos

Por Redação Atualizado em 19 jan 2021, 14h51 - Publicado em 18 jan 2021, 16h42
Coleção de iluminaçãp Soniah da Faina
Reprodução Dezeen/CASACOR

A arquiteta e designer Victoriya Yakusha está celebrando a herança cultural de seu país natal, a Ucrânia, com uma coleção de iluminação inspirada em girassóis. Criada para sua marca de móveis, Faina, a linha Soniah é uma homenagem à flor nacional do país e inclui uma arandela, piso e luminária pendente em diferentes alturas e tamanhos.

Coleção de iluminaçãp Soniah da Faina
Reprodução Dezeen/CASACOR

Cada um apresenta uma sombra circular ampla que se inclina de forma curiosa para o observador, como a flor se volta para o sol. O acabamento texturizado e caiado das luzes é feito de argila fortificada com aparas de madeira, palha e papel reciclado para criar um material que a designer apelidou de Ztista ou “feito de massa”.

Coleção de iluminaçãp Soniah da Faina
Reprodução Dezeen/CASACOR

“Com base na filosofia do ‘design vivo’, Faina tem uma forte conexão com a terra e o mundo vivente ao nosso redor, por isso trabalhamos com materiais vivos e naturais”, disse ela a Dezeen. “Ztista é um material sustentável muito flexível e oferece muitas oportunidades de design, pois pode ser moldado em quase qualquer formato.”

Coleção de iluminaçãp Soniah da Faina
Reprodução Dezeen/CASACOR

Para a linha Soniah, o material é aplicado a uma estrutura de aço recuperado em camadas espessas, seguindo uma técnica de construção tradicional conhecida como valkuvannya. Isso foi historicamente usado para construir o tipo de cabanas de barro que eram comuns em grande parte da Ucrânia e na região ao redor, antes que a pedra e o tijolo se tornassem populares no início do século XX.

Coleção de iluminaçãp Soniah da Faina
Reprodução Dezeen/CASACOR

A linha Soniah faz parte de uma coleção mais ampla chamada Following the Sun, que também inclui um banco e mesa de centro de madeira de freixo claro que tem o girassol como fio condutor. A coleção simboliza o que Yakusha descreve como o “novo primitivismo” da marca, que funde conhecimento indígena, artesanato e materiais com uma linguagem de design moderna.

Coleção de iluminaçãp Soniah da Faina
Reprodução Dezeen/CASACOR

“Para mim, o novo primitivismo é mostrar o que você vê através do design – sem interpretações ou alegorias. É um pouco ingênuo, mas muito honesto e sincero”, disse a designer. “O novo primitivismo nos leva de volta às nossas raízes e ao estado natural. Ao termos todas as capacidades tecnológicas do mundo moderno, optamos por ser simples e ver a beleza em formas e materiais simples”, acrescentou.

Fonte: Dezeen

Continua após a publicidade
Publicidade