Durante o DW, Laila Assef expôs sua coleção na Collectania

A coleção “Dos pataxós à pet” é a segunda que ela traz para o Design Weekend, em São Paulo

Por Camila Boni Atualizado em 25 jul 2018, 11h44 - Publicado em 31 ago 2015, 17h19

Há 10 anos atrás a mineira Laila Assef saiu de Belo Horizonte se mudou para Trancoso em busca de uma qualidade de vida melhor. Viciada em artes cênicas, Laila é uma excelente pintora e assim que se estabeleceu na Bahia, ela abriu uma charmosa loja chamada Cheias de Charme para comercializar seus quadros e alguns objetos. Todo dia que ela ia para o trabalho, se deparava com garrafas pet vazias que eram deixadas nas janelas e no balcão de seu ateliê, até que aquilo começou a virar um apelo. “Eram tantas garrafas no mangue, no rio, no mar, no próprio quadrado histórico quando eu percebi que poderia fazer algo. Achei a oportunidade perfeita para retribuir ao lugar o que ele estava me oferecendo”, diz ela.

Então ela distribuiu coletores pela comunidade e pelas praias para que as pessoas pudessem jogar as garrafinhas. A partir daí começou uma mobilização e conseguimos arrecadar no primeiro mês mais de 10 mil unidades. Laila começou os processos experimentais feitos manualmente com a ajuda do soprador (um utensílio semelhante a um secador de cabelo) e desenvolveu primeiramente a flor. Depois, começou a produzir luminárias e objetos decorativos.

Feitas exclusivamente de garrafas pet de refrigerante ou água, as peças são pintadas à mão com tinta para vidro e absolutamente nada é descartado. Elas podem ficar expostas ao sol, no entanto, vão ficando mais claras e ficam lindas “desbotadas”. “Geralmente eu reservo as desbotadas para o meu acervo”, afirma Laila. Para fazer a limpeza dos objetos o recomendado é apenas água.

Hoje Laila cria e entra na fase do acabamento. Para isso, tem dois funcionários que executam as peças, e uma pessoa da etnia pataxó que realiza trabalhos com sementes para o projeto que criaram em homenagem aos índios pataxós, um dos grupos que habita a região. “Nós passamos um tempo na tribo, e analisamos os materiais, os trabalhos e os ornamentos que eles usam para reverenciar os deuses em suas cerimônias religiosas. Fazemos bijoux e trajes típicos”, disse.

O projeto deu certo e ela conseguiu trazer mais cores e beleza para o “Quadrado”. As peças feitas com garrafa pet e as peças feitas com os pataxós são encontradas em sua própria loja, em Trancoso e podem ser feitas também sob encomenda.

Continua após a publicidade

Serviço:

Tel: 55 73 3668-1492

Endereço: Quadrado Histórico – Trancoso – BA

Contato: lailaassef@yahoo.com.br

Para mais informações: http://www.lailaassef.com.br

Continua após a publicidade
Publicidade