“Running Era”: o que é e por que correr está em alta?

Com entrevista das influencers do esporte Ju Mamute, Gabi Guther e Julia Sette, te explicamos tudo sobre a nova tendência do mundo saudável: a corrida!

Por Maria Fernanda Barros
22 abr 2024, 16h00

A corrida é um dos destaques do momento no universo do estilo de vida saudável. A prática se tornou tão popular nas ruas que colocou em voga um termo inédito nas redes sociais:Running Eraem português, “A Era da Corrida”. 

Buscar por “Running Era” na barra de pesquisa do Instagram, TikTok ou Pinterest é encontrar nos resultados milhares de conteúdos sobre corrida. Dentre eles, os mais comuns são vídeos e fotos de pessoas correndo, tanto em competições como em treinos habituais. 

Running Era: por que correr está em alta?
Resultados da busca por “Running Era” no Instagram, TikTok e Pinterest, respectivamente (Divulgação/CASACOR)

Dados da Associação Brasileira de Corridas de Rua (ABCR), São Silvestre e Ticket Sports mostram que o interesse por esse esporte realmente cresceu no Brasil. Em 2023, foram realizadas 150 mil corridas de rua e houve um aumento de 13% no número de participantes em relação ao ano anterior. Hoje, a estimativa é que existem 13 milhões de corredores no país.

Qual o motivo de tantas pessoas estarem vivendo a Running Era

Para a influenciadora digital Ju Mamute (Julia Giannella), que compartilha sua rotina saudável no TikTok e Instagram e soma mais de 2 milhões de seguidores nas duas redes sociais, a Running Era está em alta porque eclodiu um novo modo de se olhar para a corrida. “O grupo das pessoas que correm sempre existiu, mas agora estamos olhando para ele de uma forma diferente. A internet viu na corrida uma forma de inspirar pessoas, de motivar pessoas a terem uma vida mais saudável”, afirma. 

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Julia Giannella (@jumamutee)

A Ju é um exemplo de quem foi na onda da Running Era. A influencer relata que nasceu em berço esportivo e já praticou vários esportes diferentes, mas quando começou a pandemia de Covid-19, passou a negligenciar a alimentação saudável e o exercício físico. Depois de dois anos de sedentarismo, decidiu dar uma chance para a academia, onde permanece até hoje firme e forte em seu terceiro ano de musculação.

Continua após a publicidade

No ano passado, à procura de um exercício cardiovascular prazeroso, a criadora de conteúdo incrementou a corrida no seu lifestyle. “Vi muitas pessoas correndo e a sensação da corrida parecia incrível”, conta.  Porém, ao contrário da sua experiência com a musculação, a Ju não se adaptou à corrida logo de cara: “A corrida é um esporte muito difícil, eu corria por dois minutos e ficava cansada”

Após dois meses, a desistência veio, junto com a convicção de que esse esporte não era para ela. “A gente que não entende de corrida e começa do nada, acha que vamos começar sabendo, mas não”, diz.

Quando a influencer mudou do interior de São Paulo para o Rio de Janeiro, ela tentou novamente. Dessa vez, com uma cabeça diferente: “Não comecei falando ‘eu preciso correr 5km, 10km’. Decidi que precisava começar tentando, e aí sim eu comecei a gostar da corrida”. Em sua primeira corrida de rua, conseguiu correr 5km — sem antes ter feito 1km direto.

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Julia Giannella (@jumamutee)

 

O que as corredoras de longa data pensam sobre a Running Era?

Outras influenciadoras como Gabi Guther e Julia Sette deram a largada na corrida bem antes do termo Running Era existir. A Gabi teve seu primeiro contato com o esporte por influência da mãe durante a adolescência, mas só foi pegar gosto aos 19 anos, quando decidiu fazer uma prova de corrida em revezamento na praia, em 2018. “Todo mundo correndo junto, foi uma energia muito boa. A partir daí eu nunca mais parei”, diz. 

Continua após a publicidade
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por GABI GÜTHER • CORREDORA (@gabiguther)

Julia está inserida há ainda mais tempo no universo da corrida: já faz 20 anos que a influenciadora e jornalista começou a correr. Ela relata que acessava o YouTube para obter mais informações sobre o esporte: “Não existia esse universo de influencer de corrida, as pessoas não falavam sobre isso. Correr era uma coisa normal da vida”. Por diversão, passou a dar dicas sobre o esporte em vídeos no Snapchat e Instagram e, quando foi ver, em 2015 já acumulava cerca de 40 mil seguidores.

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Julia Sette (@sette_julia)

Em seus aproximados 10 anos produzindo conteúdo sobre corrida, Julia avalia que o boom do esporte começou em 2022. E é claro: o fenômeno da Running Era impactou em seu número de seguidores e mudou o ritmo do engajamento do seu perfil. “Viralizou muito, agora é mais fácil viralizar com os posts da corrida, então aumentou muito mais o meu número de seguidores. Acho que eu estou alcançando muitas pessoas”, relata. 

Continua após a publicidade

Tanto para Julia, quanto para Gabi, existem dois principais motivos para o aumento do número de corredores nos últimos anos: a descoberta de uma atividade física prática e prazerosa e a sensação de pertencimento.

“As pessoas estão descobrindo que podem encontrar a força, a evolução e o sucesso delas em uma coisa que elas achavam que não era possível antes. Running Era é você conhecer pessoas novas, descobrir que você pode evoluir e encontrar um lugar novo para você na sua própria era”, descreve Julia.

Nas palavras de Gabi, “A Running Era é o movimento das pessoas decidindo cuidar da própria saúde, mas encontrando algo que elas gostem, porque a corrida traz essa conexão, esse pertencimento, essa comunidade. É algo que dá para fazer em grupo, dá para fazer sozinho, em viagens, dá para fazer onde for!”. 

Running Era: correr está na moda?
Corredores no Parque Ibirapuera, em SP (Fabio Piva/Red Bull Content Pool/CASACOR)

Afinal, como começar a correr?

Tentando. Não é fácil para ninguém, provavelmente não vai ser fácil para você, mas sempre vai valer a pena”, Ju Mamute. 

“Comece sem pressa porque é um esporte que requer muita frequência e condicionamento para você ir melhorando, mas precisa ter paciência”, Gabi Guther.

Continua após a publicidade

Respeitando o processo para estabelecer uma relação longo prazo. As relações mais fortes e saudáveis levam tempo”, Julia Sette.

Running Era: por que correr está em alta?
Vista Chinesa, no RJ (Brenno Carvalho/O Globo/CASACOR)

Os respectivos conselhos das entrevistadas Ju Mamute, Gabi Guther e Julia Sette formam um verdadeiro consenso. Todas falam sobre a necessidade de entender o seu próprio ritmo para o processo não culminar em desistência. Além disso, reforçam a importância de procurar profissionais e treinamentos adequados, a fim de preparar corretamente o corpo e a musculatura para o esporte e evitar lesões.

Após trabalhar a mente, outro fator que te pode dar um up na corrida, segundo as influencers, é encontrar uma vista bonita para apreciar.

Parque do Povo
(Fernando Moraes/CASACOR)

Em São Paulo, elas apontaram o Parque Ibirapuera, Minhocão, Parque Villa Lobos, Cidade Universitária e o Parque Linear Bruno Covas como os melhores lugares para correr. No Rio de Janeiro, elas citam a Orla de Copacabana e Ipanema, a Lagoa Rodrigo de Freitas e como grande campeã: a Vista Chinesa. 

Publicidade