Continua após publicidade

Casa modernista dos anos 50 é novo lar para uma galeria em Belo Horizonte

Residência tombada pelo Patrimônio integra o Conjunto Urbano Praça da Liberdade e passa a abrigar galeria e loja de cerâmica

Por Yeska Coelho
Atualizado em 14 jul 2023, 12h04 - Publicado em 17 jul 2023, 20h00

Belo Horizonte ganha um novo espaço de contemplação para arte e arquitetura: uma casa modernista tombada que serve como novo endereço d’O Ateliê de Cerâmica.

Ateliê, casa modernista, belo horizonte, arte, exposição, cerâmica
(Divulgação/CASACOR)

À frente do projeto de restauro e ambientação para receber a galeria, o arquiteto Gabriel Castro e sua equipe da Mobio Arquitetura fizeram parceria com a ceramista Flavia Soares para desenhar uma galeria de mobiliário expositivo flexível.

Ateliê, casa modernista, belo horizonte, arte, exposição, cerâmica
(Divulgação/CASACOR)

“Além da programação de exposições, vamos incluir na agenda a visita guiada para interessados na arquitetura”, afirma Flavia Soares.

O espaço é tombado e integra o Conjunto Urbano Protegido da Praça da Liberdade. Foi construído em 1952 como residência do médico Milton Machado Mourão e da artista plástica Gilda Antonina Maria Falci Mourão.

O salão com teto abobadado é o espaço protagonista e recebeu a galeria da nova loja. O espaço foi integrado a um jardim interno através de várias esquadrias de vidro que favorecem a fluidez dos espaços e a ventilação natural.

Continua após a publicidade
Ateliê, casa modernista, belo horizonte, arte, exposição, cerâmica
(Divulgação/CASACOR)

“Houve um projeto de reforma na década de 70 de autoria do Álvaro Hardy (Veveco) com intervenções pontuais e fechamento da fachada com muro, que impediu a contemplação da casa a partir da rua”, conta o arquiteto. O projeto de restauro e ambientação também renovou o muro e contemplou um gradil transparente alinhado à tipologia construtiva do imóvel.

Continua após a publicidade
Publicidade