10 estilos de texturas usadas na CASACOR Minas 2015

A mostra mineira esteve carregada de novidades para texturas, que foram usadas de diversas formas como você confere na lista abaixo!

Por Casa Cult Minas | Edição: Alex Alcantara Atualizado em 6 fev 2019, 19h33 - Publicado em 5 out 2015, 15h30

NA CASA COR Minas 2015 reuniu inúmeras texturas, formas, cores, matérias-primas e diferentes maneiras de expressar a criatividade. Os 52 profissionais envolvidos na mostra deste ano superaram todas as expectativas e criaram ambientes verdadeiramente inovadores, capazes de inspirar você a realizar pequenas mudanças na sua própria casa. Separamos aqui uma lista com 10 texturas usadas nos espaços desta edição.

1-TEXTURAS-CASACORMG

1. Pedra e Metal

As texturas começam antes mesmo de entrar na mostra. No Parklet de Amanda Gomes e Rafael Lamounier, a trama de aço segura as pedras formando uma textura super interessante. À noite esta textura se destaca ainda mais com uma iluminação posicionada por dentro da estrutura. A luz ultrapassa as áreas vazadas e forma uma bonita integração de formas.

2-TEXTURAS-CASACORMG

2. Liso, madeira, brilhante e fosco

O ambiente Sala Lounge de Gislene Lopes é uma verdadeira celebração de texturas com muito bom gosto. O destaque desta mistura fica com o painel de vidro liso, com a TV embutida, que se transforma em uma superfície irregular, que ainda se contrasta com a madeira do teto.

3-TEXTURAS-CASACORMG

3. Madeiras de todos os tipos

Laura Santos desmistifica a ideia de que diferentes madeiras não podem ser usadas em um mesmo ambiente. Em seu projeto Sala de Jantar e Adega, ela usa cinco tipos do material: Pau de Ferro nas cadeiras, o Carvalho no tampo da mesa, Lâmina Patinada nas paredes, Peroba Dourada Natural no assoalho e nas duas adegas a Nogueira. O resultado é um mix de madeiras elegante, que enriquece ainda mais o espaço.

4-TEXTURAS-CASACORMG

4. Cobogó

A treliça do ambiente de Ana Bahia, Varanga Gourmet, é uma textura que faz referência direta à nossa brasilidade. O material utilizado é o cobogó, um elemento vasado feito de cimento na construção de paredes e muros, tépido da arquitetura nacional. A releitura da arquiteta no revestimento cria uma textura rica e interessante.

5-TEXTURAS-CASACORMG

5. Malha metálica

No ambiente de Pedro Lázaro, a Sala Central, a estante ganha uma textura completamente diferente de tudo que você já viu. Ao invés dos clássicos vidros e outros materiais, o arquiteto usou uma malha metálica.

6-TEXTURAS-CASACORMG 7-TEXTURAS-CASACORMG

6. Uma parede de borrachas

Quem imaginou usar a borracha verde escolar como um revestimento? O uso inusitado do material no ambiente Continer Office, de Bruna Bonfante e Juliana Lima, tem chamado a atenção de muitos visitantes.

Continua após a publicidade

8-TEXTURAS-CASACORMG

7. Pérgula de metal

Mais uma vez o uso de uma malha metálica ganha um ambiente da mostra. No Quintal e Jardim, de Vanessa Lacerda e Leandro Franco, a cobertura ganha um material inovador e uma textura única. A malha de aço entrelaçada acima do ambiente serve como proteção ao sol, garantindo 40% do bloqueio da luz sem bloquear a ventilação.

9-TEXTURAS-CASACORMG

8. Textura urbana

Todas as texturas do ambiente a Suíte do Casal Ciclista, de Bárbara Falqueto e Carolina Lage, fazem referência ao mundo urbano dos bikers. O destaque fica para o fundo tribal do armário. A parede foi revestida com uma madeira ecologicamente correta com aplicação sob medida do desenho.

10-TEXTURAS-CASACORMG 11-TEXTURAS-CASACORMG

9. Tramas das paredes ao teto

No ambiente Sala de Estar e Circulação, de Júnia Braz e Fernanda Villefort, as textura da treliça, desenvolvida pelas arquitetas, remete á mineiridade. Além da que está no teto há diferentes formas nas paredes: na sala foi usado pedras de um lado, MDF laqueado do outro e na circulação um revestimento vinílico.

12-TEXTURAS-CASACORMG

10. O encontro do moderno com o artesanal

No Otacílio Bar Gastrô, Marcos de Paula e Luciana Savassi escolherem um mobiliário capaz de unir quase dois opostos: a modernidade apressada com o artesanal slow.

CASA COR Minas 2015

Quando: 30 de agosto a 6 de outubro.

Onde: Avenida das Latânias, número 30, Pampulha.

Horário: de terça a sexta-feira: 15h às 22h; sábados: 13h às 22h; domingos e feriados: 13h às 19h.

Ingresso: de terça a sexta-feira: R$ 40 a inteira e R$ 20 meia-entrada, sábados, domingos e feriado: R$ 50 a inteira e R$ 25 a meia-entrada. Passaporte (válido para todos os dias da mostra): R$ 140, nominal e intransferível, mediante apresentação de documento de identidade. Passaporte estudantes (válido para todos os dias da mostra): R$ 70.

Special Sale: 5 e 6 de outubro.

Continua após a publicidade
Publicidade