Prédio em Taiwan pretende absorver 130 toneladas de carbono por ano

Assinado por Vincent Callebaut Architectures, o Tao Zhu Yin Yuan possui aproximadamente 23 mil plantas espalhadas em 20 andares

Por Nádia Sayuri Kaku Atualizado em 25 mar 2021, 17h49 - Publicado em 18 mar 2021, 12h56

O objetivo do projeto Tao Zhu Yin Yuan é grandioso: criar uma arquitetura que absorva carbono e diminua a temperatura da Terra. O condomínio vertical localizado em Taiwan tem assinatura do escritório francês Vincent Callebaut Architectures e contará com aproximadamente 23 mil árvores, arbustos e plantas em todos os seus 20 andares. A construção deve ficar pronta no segundo semestre de 2021.

Vincent Callebaut Architectures
Vincent Callebaut Architectures/CASACOR

Arquitetura sinuosa

Vincent Callebaut Architectures
Vincent Callebaut Architectures/CASACOR

O design sinuoso do arranha-céu é inspirado na forma do DNA: a estrutura da dupla hélice aparece em cada andar, que é formado por duas unidades habitacionais e, da base até o topo, os níveis se alongam e se retorcem – cada pavimento gira 4,5 graus no sentido horário até um total de 90 graus. Quando vista de diversos ângulos, a torre se transforma em uma miríade de formas.

Vincent Callebaut Architectures
Vincent Callebaut Architectures/CASACOR

O layout em forma de torção foi escolhido por diversos motivos: obedecer os recuos urbanos exigidos pela prefeitura de Taipei, gerar cascatas de jardins suspensos ao ar livre, criar mais privacidade para cada unidade e promover vistas panorâmicas da cidade sem muitas interferências.

Floresta vertical

Vincent Callebaut Architectures
Vincent Callebaut Architectures/CASACOR

O Tao Zhu Yin Yuan possui aproximadamente 23 mil árvores, arbustos e plantas no jardim do andar térreo e nas varandas e terraços dos apartamentos. A estimativa é que toda essa floresta verde absorva cerca de 130 toneladas de carbono por ano – um número cinco vezes maior que o exigido pela regulamentação local.

Vincent Callebaut Architectures
Vincent Callebaut Architectures/CASACOR

As plantas fornecem oxigênio, deixam o ambiente mais úmido e atenuam o barulho. A torre também possui chaminés de ventilação natural que filtram o ar dentro do núcleo central, reciclagem de água da chuva, iluminação LED, conexão de fibra óptica, painéis para captação de energia solar e eólica e um sistema estrutural com alta resistência a terremotos e intempéries.

Vincent Callebaut Architectures
Vincent Callebaut Architectures/CASACOR

“Esperamos melhorar os esforços do mundo na luta contra o aquecimento global e estabelecer a cultura de absorção de carbono das pessoas; partiremos de Taiwan e declararemos isso ao mundo”, explicam os arquitetos em seu site oficial.

Descubra essa e outras práticas sustentáveis no Instagram da CASACOR: @casacor_sustentavel.

Continua após a publicidade
Publicidade