Artboard Created with Sketch.

ONU Meio Ambiente promove a limpeza de mares e rios em setembro

O evento destinado a limpar praias ocorre mundialmente entre os dias 15 e 24 de setembro. Saiba como fazer parte de diversas iniciativas abaixo:

Com certeza você já ouviu a frase que “em 2050 o oceano vai ter mais plástico do que peixes”. As imagens e dados sobre plástico nos oceanos são chocantes: no oceano pacífico, existe uma “ilha” de plástico, 16 vezes maior que Portugal; de 4.8 milhões, até 12.7 milhões de toneladas de resíduos chegam na água anualmente; 90% do lixo que flutua nos mares, é composto por plástico e em 32 anos, 99% das aves marinhas terão ingerido esse material.

Pensando nesse impacto, diversas ONGs e instituições se propõem a reverter esse quadro com iniciativas para limpar os rios e praias, ações na internet, além de intervenções e manifestações culturais. A semana internacional de limpeza dos rios e mares ocorre entre os dias 15 e 24 de setembro e além de coletar resíduos, separa-os e destina aos lugares certos de reciclagem. Separamos abaixo algumas propostas que precisam ser conferidas:

Manual prático da ONU Meio Ambiente

 (Divulgação/CASACOR)

A Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou um manual online de como organizar uma ação de limpeza de praias. Sob o slogan “o mar não está para plásticos”, o guia ajuda a entender porque uma campanha assim é necessária, como a ação funciona; o ciclo de vida e os passos.

A Websérie Mares Limpos, do Menos 1 Lixo

View this post on Instagram

Esses dias a gente postou uma imagem linda dos Lençois Maranhenses, hoje a gente a coloca na lupa com esse #repost do @joaothiagoramos . No Maranhão uma coisa que impressiona é como a maré sobe e desce diariamente. São kilometros de faixa de areia que some e aparece todo dia. Junto com a faixa de areia toneladas de resíduos plásticos do mundo todo. Com tanta beleza, ninguém repara isso, preferimos obviamente tirar fotos das lagoas azuis, claro que fiz isso, sendo que com angústia e memória de todo esse plástico invisível para maioria. Tento fazer o mínimo, como não usar canudos, não beber em copo descartável, e selecionar todo plástico que não conseguimos deixar de consumir para que seja reciclado, pois quero muito que minha filha, possa sentir toda essa beleza. . #menos1lixo #mareslimpos #cleanseas #oceanos #poluição #sustentabilidade #onumeioambiente #plástico #noplastic #lixozero #zerowaste #meioambiente #menosplastico #savetheocean

A post shared by Menos 1 Lixo (@menos1lixo) on

Mares Limpos é um projeto do movimento Menos 1 Lixo! Criado por Fe Cortez, o objetivo é alertar a população sobre consumo consciente através de dicas práticas, no site e nas redes sociais. A websérie apresenta a defensora de Mares Limpos pela ONU viajando pelo país e dando voz a diversos ativistas, especialistas e cientistas.

Clean Up Day da Route Brasil

View this post on Instagram

O plástico é um material globalmente utilizado: é barato, versátil e muito resistente. Presente numa infinidade de produtos: equipamentos médicos, nas fibras de nossas roupas, nas peças de aviões, e em muitos outros produtos que já se tornaram essenciais para nossa sociedade. Ele é altamente viável para as indústrias, porém, infelizmente é altamente agressivo para a natureza, principalmente quando chega aos oceanos. O plástico é mesmo uma invenção incrível, a não ser por uma grande questão: o consumo inconsciente e o descarte incorreto. Já parou pra pensar aonde tanto plástico produzido no mundo todo vai parar após ser utilizado? Já parou para pensar na viagem que o seu próprio lixo faz? Essa viagem é longa e triste! De todo plástico produzido até hoje, cerca de apenas 9% foi reciclado, 12% foi incinerado, e todo o resto foi parar em aterros sanitários ou em nossos mares. Estima-se que anualmente 8 milhões de toneladas de lixo plástico são despejados em nossos oceanos! Diante disto, surge uma previsão assustadora de que até 2050 haverá mais plástico do que peixes nos oceanos. Se a nossa visão sobre essa questão não mudar e o consumo continuar crescente (como é atualmente), em menos de 40 anos teremos uma quantidade de plástico avassaladora em nossos oceanos! Além de se tornar tóxico e poluir a água, o plástico acaba sendo ingerido por diversas espécies, causando mortes e afetando toda a cadeia trófica marinha. . O que você pode fazer pelo planeta hoje? Reduza o seu consumo de plástico e pense que você é responsável por todo lixo que você produz! O copo descartável que você usa, por exemplo, pode ser responsável pela morte de uma tartaruga. De alguma forma somos todos ligados uns aos outros. REPENSE SOBRE O SEU CONSUMO! ATITUDE CONSCIENTE! . 📷@alainbachellier 🔃@anacaarteecultura 🗒@pedrovieirapg @michelesardinhaf . #sejaroute #routebrasil #plástico #reduce #reuse #recycle #route #porummundomelhor #limpezadepraia #mudarparapreservar #mareslimpos

A post shared by ROUTE Brasil (@routebrasil) on

A Route Brasil atua como uma rota de conscientização ambiental, feita por mais de 5.000 voluntários! Neste sábado, dia 15 de setembro, a iniciativa fará a ação de limpeza de mares e rios em diversos locais, entre eles a Represa Billings em São Paulo; na Praia Grande, em Arraial do Cabo, no Rio; na Barra da Lagoa, em Florianópolis e mais. Confira a lista completa aqui.

Ocean Conservancy

 (Reprodução/CASACOR)

A Ocean Conservancy – conservação dos oceanos, em tradução livre – também é uma iniciativa que visa limpar praias, mares e rios. Mas além disso, a ação lançou o aplicativo CleanSwell, disponível para iOS e Android, que permite captar o tanto de lixo coletado e compartilhar com amigos e família. Os dados de coleta vão direto para o banco de dados da Ocean Conservancy e ajudam os pesquisadores com as novas informações. O aplicativo permite gravar o tanto de lixo coletado, compartilhar nas redes sociais, calcular a distância que foi limpa, ver o peso da quantidade de lixo retirada das ruas ou praias, criar soluções para ajudar a instituição e também aprender mais sobre o impacto do lixo nos oceanos e nos animais. Saiba mais aqui

Manifestações culturais

57 kg de plástico dão forma a uma baleia morta

57 kg de plástico dão forma a uma baleia morta (Reprodução/CASACOR)

Em 2017, o Greenpeace Filipinas expôs a escultura de plástico no formato de uma baleia morta. A obra de 57 kg foi feita com sacos de lixo, garrafas de plástico, copos, canudos e outros tipos de resíduos do material que poderiam ser facilmente engolidos por algum animal marinho. A imagem ainda circula nas redes sociais para alertar o público da dimensão do problema.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.