Plantas medicinais: o que são e 8 espécies para ter em casa

O Brasil é rico em diferentes espécies e há anos faz uso delas para curar enfermidades. Conheça algumas plantas que podem ser cultivadas em casa

Por Yeska Coelho Atualizado em 1 fev 2022, 09h31 - Publicado em 2 fev 2022, 15h00

Os poderes da natureza são mais do que bem-vindos em diversas áreas, especialmente quando o assunto é saúde e bem-estar. Na composição de ambientes, muito se fala sobre as vantagens de utilizar espécies para purificar o ar e atrair boas energias, mas, para além disso, há também muitas plantas com poderes medicinais que são muito recomendadas para o lar.

A seguir, selecionamos 8 plantas para cultivar em casa que têm o poder de cura e ainda são ótimas para aproveitar as folhas e fazer chá. Conheça!

Hortelã

 

hortelã plantas para horta
Pixabay/CASACOR

A hortelã é uma planta medicinal muito utilizada e bastante presente nos lares brasileiros, tanto pelo seu poder de cura como também o aroma fresco e agradável. Ela possui efeito calmante e expectorantes, o que contribui também para o tratamento de gripes.

O cultivo é bastante simples: ela não exige muito espaço e se adapta a diferentes condições climáticas. O ideal é deixá-la em um ambiente com bastante incidência do sol.

Boldo

 

boldo
Divulgação/CASACOR

O boldo é uma das mais famosas plantas fitoterápicas que podem ser utilizadas para evitar ou mesmo tratar doenças. Ela possui propriedades diuréticas, anti-inflamatórias e antioxidantes, o que ajuda no trato de doenças como gastrite.

Para plantar, sol pleno e água são o bastante para cuidar e ter a espécie no lar.

Babosa (Aloe Vera)

 

Babosa
Divulgação/CASACOR

A babosa, também conhecida como aloe vera, é uma planta do norte da África que faz muito sucesso no Brasil. Rica em magnésio, potássio, vitamina C e iodo, ela possui substâncias que ajudam no combate à fungos causadores de micose, caspas entre outras enfermidades que comprometem a saúde da pele e cabelo.

A babosa pode ser cultivada em vasos grandes com furos para liberar o fluxo de água. A preferência é por um solo drenado com terra, areia e adubo.

Camomila

 

Camomila
Pixabay/CASACOR

O chá de camomila é um dos mais famosos e apreciados no Brasil. Ele tem diversos benefícios, podendo ajudar no sono e servir como calmante, anti-inflamatório, antioxidante e muito mais. Além de todos esses benefícios para a saúde, a camomila é uma planta belíssima e delicada, perfeita para compor diferentes ambientes.

Para o cultivo, a camomila costuma preferir terras bem drenadas com pouca incidência de sol. Importante também deixar o solo úmido.

Continua após a publicidade

Canela

 

Canela
Pixabay/CASACOR

A canela é uma especiaria super aromática bastante utilizada em receitas, mas que possui também um potencial fitoterápico. O uso mais comum da canela é para o trato de inflamações, como dores na garganta, mas há estudos que apontam eficácia na prevenção de doenças cardiovasculares, câncer e diabetes.

A canela exige uma complexidade para cultivo, o ideal é que se tenha um espaço – mesmo que uma mini horta no jardim – para plantar. Além disso, é importante proteger as sementes da incidência do sol, e deixar a terra sempre adubada.

Capim-limão

 

Capim-limão
Pixabay/CASACOR

O capim-limão possui excelente ação antioxidante e ajuda a aliviar dores como cólica, dor muscular e dor de cabeça. Além disso, também auxilia na redução de inchaços graças ao poder diurético.

O cultivo do capim-limão deve ser feito em um vaso mais fundo para preservar a umidade. O ideal é deixar em sol pleno por pelo menos quatro horas todos os dias.

Erva-doce

 

erva-doce
Pixabay/CASACOR

A erva-doce é uma planta utilizada para várias complicações: gastrite, inchaço abdominal, má digestão, gases, dor de cabeça, entre outras enfermidades. Ela também é uma espécie bastante aromática e que serve para o preparo de diversas receitas.

O ideal é cultivar a erva-doce em uma região mais quente, e a planta costuma brotar anualmente ou bianual.

Erva-cidreira

 

Erva-cidreira
Pixabay/CASACOR

A erva-cidreira ajuda especialmente em problemas digestivos, possuindo também propriedades calmantes e sedativas. Por essa razão, é recomendada para problemas estomacais, ansiedade e estresse.

A vantagem de cultivar a espécie é que ela se adapta bem a qualquer estação do ano. O importante é deixar um espaçamento de pelo menos 3 cm entre as sementes. Ideal também deixá-la em um ambiente que receba luz do sol no mínimo quatro horas por dia.

 

Continua após a publicidade

Publicidade