O jardim encantado de Bia Abreu é um presente para São Paulo

Bia Abreu integrou o Janelas CASACOR ao lado do Suite Arquitetos e doou o jardim da Casa Conectada LG como um legado verde para a cidade

Por Cristina Bava 15 jan 2021, 19h12
bia abreu janelas casacor 2020 sao paulo casa conectada lg paisagismo jardim arquitetura sustentabilidade foto renato navarro
Renato Navarro/CASACOR

“Foi o propósito do projeto que me fascinou de imediato” revela a paisagista Bia Abreu. Ao conversar com Filipe Troncon, sócio de Carolina Mauro, Daniela Frugiuele, sobre a Casa Conectada LG, realizada na Praça Cidade de Milão, para o Janelas CASACOR São Paulo, Bia se encantou com a proposta. “A ideia de falar sobre pluralidade, diversidade e conexão veio de encontro com aquilo que estava sentindo e pensando. Fiquei muito animada com o convite e aceitei prontamente. Procurei adaptar os conceitos do projeto de arquitetura para o jardim e busquei criar uma conexão verdadeira entre as pessoas e a natureza” complementa.

bia abreu janelas casacor 2020 sao paulo casa conectada lg paisagismo jardim arquitetura sustentabilidade foto renato navarro
Renato Navarro/CASACOR

O jardim, além de emoldurar o contêiner criado pelo trio do Suite Arquitetos, batizado de Casa Conectada LG, turbinou em mais de 150 metros quadrados o verde já existente na Praça Cidade de Milão, localizada em frente ao Parque Ibirapuera. “Sempre fui apaixonada por essa praça, que costumo frequentar, e por isso, não poderia deixar passar essa oportunidade de oferecer um oásis mais verde ao local e aos seus frequentadores. Ver crianças brincando, cachorros correndo, pessoas contemplando e/ou se abrigando do sol é um prazer enorme. Então resolvi doar e deixar tudo como está“. A composição verde contou com a parceria de diversos fornecedores e executores que foram fundamentais em todo o processo de criação e produção, “o jardim só foi possível de ser realizado e doado pois todos os envolvidos — fornecedores, trabalhadores, arquitetos — estavam focados no mesmo propósito” afirma Bia.

“Busquei usar as mesmas espécies existentes no parque e ao mesmo tempo trazer um pouco da diversidade da natureza, ao escolher plantas como desenhos e texturas belos e diversos. E ainda, espécies que pudessem atrair os passarinhos para trazer mais vida ao local” ressalta Bia. Em uma área de 150 metros quadrados, a pequena floresta encantada foi composta por espécies como Filodendro (Philodendron hederaceum), Açaí (Euterpe oleracea), Costela-de-adão (Monstera deliciosa), Jabuticabeira (Myrciaria cauliflora), Jasmim-manga (Plumeria rubra), Maranta-variegada (Ctenanthe oppenheimiana), Palmeira-leque (Licuala grandis). Estes são apenas alguns dos exemplares que dão o tom da essência do jardim criado pela paisagista marcado pela pluralidade das espécies tropicais e caracterizado por uma leitura contemporânea, moderna e harmônica com o entorno da praça.

“Precisamos refletir sobre o momento e a natureza nos alimenta e inspira. Procurei, com esse jardim oferecer encantamento e bem estar para um maior número de pessoas” resume a paisagista.

Sobre Bia Abreu

Com olhar apaixonado pela natureza, a paisagista Bia Abreu é parceira de diversos escritórios de arquitetura de São Paulo. Sua formação em Arquitetura e Urbanismo pela Fundação Armando Álvares Penteado rendeu essa profunda ligação entre o projeto e a natureza. Bia iniciou seu ofício trabalhando com o paisagista Gil Fialho e em 2012 fundou o escritório próprio: Bia Abreu Arquitetura Paisagística, com atuação nas áreas corporativa, comercial e residencial. Seus projetos de paisagismo são marcados por uma leitura jovem, leve e colorida, características essas que se aplicam a sua própria personalidade.

Continua após a publicidade
Publicidade