Bienal de Veneza adia as próximas exibições de arquitetura e arte

A Bienal de Arquitetura, que iria ocorrer neste ano, foi adiada para 2021. Consequentemente, a Bienal de Arte passa de 2021 para 2022

Por Giovanna Jarandilha - 19 Maio 2020, 15h44
Biennale di Venezia/CASACOR

A Bienal de Veneza anunciou, nesta segunda-feira (18), que a 17ª Exibição Internacional de Arquitetura e a 59ª Exibição Internacional de Arte serão adiadas em virtude da pandemia. O evento, reconhecido como um dos mais importantes do mundo, reúne a cada dois anos as melhores tendências contemporâneas nos setores de arte e arquitetura.

Planejada para acontecer em agosto deste ano, a Bienal de Arquitetura foi postergada ter início em 22 de maio de 2021 — e assim deve se manter até 21 de novembro, aumentando em três meses o período total de funcionamento. A mostra tem como tema “How Will We Live Together?” e curadoria de Hashim Sarkis.

Com o adiamento, a Bienal de Arte, que deveria acontecer em 2021, foi passada para 2022. O evento irá durar sete meses, de 23 de abril a 27 de novembro, e conta com curadoria de Cecilia Alemani.

A decisão pelo adiamento foi tomada levando em conta não só a saúde dos visitantes e funcionários do evento, como também a estrutura das exibições, que seria prejudicada como um todo. Sobre a condição, o arquiteto libanês e curador Hashim Sarkis declarou “espero que a nova abertura permita que os participantes recuperem o fôlego e completem o trabalho com o tempo e vigor que merecem”.

Continua após a publicidade
Publicidade