Luciana Calaza destaca as memórias afetivas nos espaços da CASACOR RJ 2018

A experiente jornalista escreve sobre as memórias afetivas presentes nos espaços na mostra carioca

Por A Cor da Casa Atualizado em 17 fev 2020, 16h49 - Publicado em 11 out 2018, 15h43
Consultório da Psicanalista, por Isabella Lucena e Paula Gusmão. André Nazareth/CASACOR

Um lar com personalidade tem histórias para contar. Objetos adquiridos em viagens e experiências ao longo da vida, fotografias de família, móveis que já estiveram na casa dos pais, avós ou bisavós, criam um lar impregnado de memória afetiva, um lugar bom de se estar. Tendo como fio condutor o tema A Casa Viva, a CASACOR Rio de Janeiro 2018 destaca justamente isso: a harmonia com a natureza e a convivência, um estilo de vida rodeado de memórias afetivas. 

Luciana Calaza, jornalista com mais de 15 anos de experiência, visitou a mostra e destacou os elementos dos ambientes que evocam essa atmosfera nostálgica e de lembranças.

A arquiteta Bianca da Hora, que assina o Living Sage, diz que a proposta do espaço é um mergulho nas lembranças e na emoção. “Criei um espaço de convívio, para receber amigos, tomar um vinho, que tem muito a ver com o nosso jeito de viver nos dias de hoje”. 

Living Sage por Bianca da Hora André Nazareth/CASACOR

“O cotidiano das grandes cidades está nos levando de volta para dentro de casa. Parecia natural que a decoração incorporasse lembranças, como presentes dos amigos, objetos trazidos de viagens, caixas antigas que guardam fotos. Acabei trazendo peças da minha própria casa. E aí fui mesclando com móveis contemporâneos, que é um jeito de dar continuidade à história sem perder os vínculos”.

Living Sage por Bianca da Hora André Nazareth/CASACOR

Ao criar para a mostra o consultório de um psicanalista estudioso, que gosta de viagens, arte e livros, Isabella Lucena e Paula Gusmão também falam do resgate das memórias, convidando os visitantes a uma experiência reflexiva. 

Consultório da Psicanalista, por Isabella Lucena e Paula Gusmão. André Nazareth/CASACOR

“Temos dificuldade com projetos criados do dia para a noite, só com artigos comprados em lojas. Na CASACOR, como é uma mostra, escolhemos trabalhos artísticos representativos dessa nossa afinidade com as memórias na decoração. Um deles se chama “Saudade vale ouro”, do Thainan. É uma obra de arte feita em cortiça com fotografias da família do artista, versos de sua avó, que declamava, desenhos lindos. É bem poético. Além disso, temos uma tapeçaria, da artesã Valentina Saldanha, que também remete ao tempo – apesar de ser uma peça atual, é um ofício muito antigo, então tem uma simbologia. E no espaço tem ainda uma vitrola”, conta Isabella.

Consultório da Psicanalista, por Isabella Lucena e Paula Gusmão. André Nazareth/CASACOR

Contar a história do morador, dando uma repaginada em algumas peças, se for preciso, é o que a decoradora Lu Kreimer faz. Na mostra, ela assina a Galeria dos Apartamentos, um espaço criado com peças únicas e autênticas, todas de época. “Muitas pessoas têm suas coleções e querem dar destaque a elas. Nem sempre é algo que parece bonito para os outros, mas meu trabalho é justamente criar uma ambientação deslumbrante para esses acervos. Trago um revestimento de tecido, uma pintura. Não jogo nada fora. É isso que faz uma casa ficar diferente da outra”.

Galeria dos Apartamentos, por Lu Kreimer. André Nazareth/CASACOR

Ao criar o Loft do Homem, Maurício Nóbrega acabou incorporando o personagem: todos os objetos do espaço são de sua casa. 

Loft do Homem, por Maurício Nóbrega. André Nazareth/CASACOR

“Sempre que faço um projeto, a primeira coisa que pergunto ao cliente é o que da sua história ele quer levar para a casa nova. O projeto é criado a partir daí. Às vezes, até dando um novo uso para a peça: um baú velho que vira um bar, por exemplo. Nesta edição da mostra, eu fui meu próprio cliente. Decidi não pegar nada em loja. Livros, esculturas, lembranças de viagens, brinquedos, é tudo meu. Desde o tamborzinho que eu trouxe do Butão, às caixas que trouxe do Peru. A primeira escultura que comprei na vida, um carrinho de madeira que comprei na Califórnia, meu quimono de jiu-jitsu”, conta ele.

Loft do Homem, por Maurício Nóbrega André Nazareth/CASACOR

SERVIÇO CASACOR RIO DE JANEIRO 2018

QUANDO?

De 18 de setembro a 4 de novembro de 2018

Continua após a publicidade

Terça a sábado, das 12h às 21h;

Domingo, das 12h às 20h.

ONDE?

Ladeira de Nossa Senhora, 163 – Glória

Mais informações: (21) 2512-2411

QUANTO?

Terça a sexta:

Entrada inteira: R$50

Meia-entrada: R$25

Sábados, domingos e feriados:

Entrada inteira: R$60

Meia-entrada: R$30

Adquira seu ingresso online clicando aqui!

Continua após a publicidade
Publicidade