Back to black: a cor preta atravessa 15 espaços de CASACOR 2019

Com múltiplos significados, o preto foi a cor escolhida como protagonista em vários tipos de ambientes de CASACOR

Por Ana Carolina Harada - 13 out 2020, 12h53
Rodolfo Sotelo/CASACOR

O pretinho básico parece nunca sair de moda, e não somente nas roupas. Na decoração, contudo, nem sempre é fácil incluir uma paleta escura em ambientes. Em excesso, o preto pode deixar um espaço com uma atmosfera demasiado pesada, mas na dose certa, com o mobiliário e iluminação precisa, revestimentos, tintas e peças pretas podem ser justamente aquilo que torna o projeto único.

Mesmo que, na definição científica, preto seja a ausência de luz, nele com certeza não faltam significados. Profissionais de CASACOR utilizaram a cor com as mais diversas intenções. De elegância à minimalismo, até sobriedade, o preto surgiu em várias mostras pelas Américas.

Lofts e salas: preto como sobriedade e elegância

 

 

Os ambientes assinados por Ricardo Abreu, Athos Peruzzolo e Viviane Loyola são a prova que, ao contrário do que possa parecer, as paredes revestidas de preto não são nada monótonas. Cada um dos profissionais em seus respectivos espaços utilizam o preto para compor atmosferas distintas e marcantes: no Loft Fetiche, o preto confere um ar misterioso, o Loft do Arquiteto traduz a sobriedade de seu ocupante e a Suíte do Rapaz ganha um toque de elegância jovial com suas estantes e prateleiras pretas.

Espaços Gourmet: preto como sofisticação e acolhimento

 

Todo espaço gourmet deve estimular os sentidos e ajudar a criar uma experiência gastronômica. Por isso, neles, o preto é eleito para trazer sofisticação de um jeito inesperado. No EG Experience Arauco, o porcelanato se junta ao couro, numa combinação pouco comum, mas surpreendente aconchegante. Na Garagem Gourmet, o acolhimento vem junto da ideia de modernidade, uma vez a tecnologia é chave do projeto. Já na Casa da Girafa/Cinex, tons escuros e iluminação direcionada valorizam cada uma das incontáveis peças de arte presente.

Continua após a publicidade

Banheiros: preto como praticidade e estilo

 

Historicamente, desde o século XIX, os banheiros são ambientes mais claros, já que isso permitiria que a sujeira fosse mais facilmente identificada. Obviamente, o banheiro foi ressignificado, e hoje ele é um local para relaxamento e desconexão. Arquitetos e designers de Paraná, Ribeirão Preto, Brasília e São Paulo escolheram o preto como cor central em suas paletas. As pedras trazem praticidade e estilo, enquanto a madeira traz a linearidade e texturas das ripas.

 

Bares e restaurantes: preto como funcional e contemporâneo

 

Alguns milhares de quilômetros separam o Kozu Black, em Goiás, e o Ydzn Bar, em Miami. A cor, porém, os coloca lado a lado. André Lenza, optou por um revestimento em mármore negro e paredes de madeira ebanizada. Toda a escuridão, todavia, é iluminada pelo Sol durante o dia, graças aos muxarabis. De noite, o bar passa a ser a fonte luminosa, deixando suas luzes banharem as mesas na calçada. Em sintonia, estúdio Yodezeen, aposta em tons escuros junto de materiais naturais e um jardim vertical para criar um local que integra as atividades do ocupante: cozinhar, relaxar e trabalhar.

Ambientes brancos e pretos: a harmonia no contraste

 

Assim como Ying e Yang, branco e preto são de fato contrários, mas que se complementam pelo contraste. Os blocos de cor são uma tendência, entretanto, há profissionais que dão um passo além e exploram a harmonia possível entre os opostos. Como qualquer filme preto e branco pode comprovar, essa combinação confere um charme singular. Para finalizar, os quatro espaços abaixo trabalham a paleta de forma ousada, e o resultado são projetos que imediatamente chamam a atenção.

Continua após a publicidade
Publicidade