Continua após publicidade

Ocupação no Itaú Cultural mostra os edifícios icônicos de Artacho Jurado

Exposição apresenta cerca de 130 peças que contam a história de Artacho Jurado, arquiteto que ajudou a construir a paisagem urbana de São Paulo

Por Redação
20 jun 2024, 10h00

Na contramão dos traços racionalistas da arquitetura moderna, Artacho Jurado desenvolveu projetos que destacavam elementos da decoração, cores vibrantes e espaços de convivência. O arquiteto enxergava além da sobriedade e racionalidade geométrica que marcava o mercado imobiliário do período: essa visão foi responsável por consagrá-lo como uma espécie de aquarelista da paisagem urbana de São Paulo.

Artacho Jurado Itaú Cultural
Artacho Jurado (1907-1983). (Divulgação/Itaú Cultural/CASACOR)

É este espírito que, de 20 de junho a 15 de setembro, a Ocupação Artacho Jurado, apresenta ao público no espaço Multiuso, localizado no segundo piso do Itaú Cultural. Cerca de 130 peças, entre imagens, fotografias, vídeos, desenhos originais, publicidade de época, uma maquete e o acervo pessoal da família Jurado permitem ao público se aprofundar na vida e obra do autor de edifícios icônicos da capital paulista.

Edifício Parque das Hortênsias, localizado na região central de São Paulo
(Tuca Vieira/Divulgação/CASACOR)

“Procuramos revelar a pragmática construtiva de Artacho. Seguimos menos pelo raciocínio das ideias ou do teórico, já que a arquitetura dele foi pouco considerada em termos acadêmicos, para olhar para os aspectos construtivos dos materiais formais que é aquilo em que ele mais se debruçava”, explica Guilherme Giufrida, antropólogo e um dos curadores da Ocupação.

Ao envolver o público com o som das óperas favoritas do arquiteto e a vista de alguns de seus apartamentos, a exposição apresenta o legado arquitetônico deixado por Artacho na história da arquitetura da cidade e na indústria dos empreendimentos imobiliários. 

Edificio Verde Mar, em Santos.
Edificio Verde Mar, em Santos. (Tuca Vieira/Divulgação/CASACOR)

A curadoria da exposição ainda revela a história de Jurado antes de se adentrar na construção arquitetônica. Ele começou a sua carreira como letrista de cartazes, estandartes, feiras e exposições, na década de 1920, depois passou a desenhar estandes para feiras industriais e se estabeleceu como organizador de grandes eventos da cidade. Fotos da época de neons, luminosos publicitários produzidos e estandes criados para as feiras ilustram este trecho da exposição.

Um dos destaques da mostra é a presença de uma grande maquete comissionada, que mostra os edifícios mais importantes do arquiteto e como foram inseridos na topografia de São Paulo e de Santos e apresenta uma cronologia geolocalizada de seus projetos.

Além disso,  a mostra foca no conceito de lazer e ócio impregnado por Artacho em seus empreendimentos. Ele foi pioneiro na oferta, no térreo e na cobertura dos projetos, de áreas comuns, onde os moradores poderiam se encontrar e confabular, entre salões de festas,  de chá, de música e galerias de arte. O visitante pode viajar pelo ar festivo que embalava as inaugurações dos prédios de Artacho Jurado, marcadas por um estilo de vida no gênero “american way of life”.

Continua após a publicidade
07AreaSocialCobertEdPiaui_1957_FotoLeonLiberman_AcervoFamJurado
Imagem do acervo pessoal da família de Artacho Jurado (Divulgação/Itaú Cultural/CASACOR)

A riqueza da proposta construtiva de Artacho também se evidencia nos estudos que realizou para os seus diversos projetos – inclusive aqueles que nunca saíram do papel, como o Edifício Marajoara. O conjunto de documentos inéditos apresentados nessa mostra permite conhecer  as diferentes etapas de um projeto arquitetônico: estudos de volumetria, esboços de ambientes internos, hall, salões, fachadas e terraços, além das perspectivas coloridas utilizadas para apresentar e vender os empreendimentos aos futuros moradores.

Edifício Parque das Hortênsias.
Edifício Parque das Hortênsias. (Tuca Vieira/Divulgação/CASACOR)

Uma parede inteira do espaço expositivo é dedicada ao que os curadores chamam de gramática de Artacho. Ela acolhe um ensaio fotográfico comissionado do fotógrafo Tuca Vieira que revela em detalhes os seus elementos construtivos, propondo uma pesquisa abrangente sobre a estética do arquiteto e seu desenvolvimento no tempo, a partir de alguns de seus edifícios.

Edifício Louvre Artacho Jurado
Fachada do Edifício Louvre, na República, região central de São Paulo. (Tuca Vieira/Divulgação/CASACOR)

Serviço

Ocupação Artacho Jurado

Quando: 20 de junho até 15 de setembro de 2024

Onde: Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149, próximo à estação Brigadeiro do metrô.

Visitação: Terça-feira a sábado, das 11h às 20h; domingos e feriados, das 11h às 19h.

Continua após a publicidade

Entrada gratuita.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade
Pular para o conteúdo