São Paulo ganha seu maior mural de arte colaborativa

Artistas visuais do coletivo SHN instalaram a obra de arte na lateral de um edifício no centro paulistano

Por Redação Atualizado em 18 fev 2020, 07h54 - Publicado em 14 mar 2018, 18h07
Divulgação/CASACOR

São Paulo ganhará uma nova obra de arte pública, um gigante mural assinado pelo coletivo de arte SHN, o maior da cidade, instalado em uma empena (a lateral sem janelas dos edifícios) no centro da cidade, próximo da Estação da Luz. O projeto é iniciativa da Heineken ficará como legado do evento Heineken Block para a cidade de São Paulo.     

O projeto é cheio de inovações, é o primeiro mural de São Paulo a contar com a ajuda do público. Durante três fins de semana, os participantes do Heineken Block foram convidados a criar lambes-lambes. Mais de mil deles foram criados para compor a base da obra instalada na empena do edifício que fica ao lado da Vila dos Ingleses, locação escolhida para o evento da marca.     

Divulgação/CASACOR

O projeto presta homenagem ao início da arte de rua e do grafitti no Brasil: o coletivo SHN pintou um gigante rolo de tinta em cima dos lambes-lambes, para lembrar dos primeiros artistas de rua que usavam tinta e rolinho em suas obras, numa época que o spray não era fácil de se encontrar no País.             

O SHN é um coletivo que existe desde 1998, composto pelos artistas André Ortega, Daniel Cucatti, Eduardo Saretta, Haroldo Paranhos, Kleber Botasso, Marcelo Fazzolin e Rogerio Fernandes, pioneiro em transformar espaços públicos das cidades, a partir da colagem de serigrafia, lambes, stickers, gravuras e pôsteres exaustivamente repetidos, instalados nas ruas de São Paulo. O objetivo é a intervenção por meio da linguagem lúdica e bem-humorada.

Continua após a publicidade
Publicidade