Exposição sobre rendas e bordados é a primeira do ano no Museu A CASA

Peças do acervo aplicam técnicas diversas e provém de todo o país. A exposição tem início neste sábado, 22 de janeiro

Por Redação Atualizado em 20 jan 2022, 10h28 - Publicado em 21 jan 2022, 15h00
A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Cooperativa de Trabalho Artesanal e de Costura da Rocinha (Coopa – Roca) e Maria Teresa Leal (TT Leal). Rio de Janeiro, RJ. Tipologia: crochê. Reprodução/CASACOR

Com 25 anos de história, o A CASA – Museu do Objeto Brasileiro abre as portas neste sábado, 22 de janeiro, para abrigar a primeira mostra de 2022. Intitulada “Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados”, a exposição, com curadoria e montagem realizadas pelo designer de interiores Julio Rosa e pela jornalista Zizi Carderari, traz peças tradicionais e contemporâneas da arte da rendaria e bordagem. “Escolher esses bordados representou uma viagem fantástica pelo país“, conta a curadora.

A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Associação Comunitária Santa Rita do Açuzinho. Lagarto, Sergipe. Tipologia: bordado livre. Reprodução/CASACOR
A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Reprodução/CASACOR

“Bordados são muito difundidos no Brasil. Já as rendas estão em locais mais específicos, como a irlandesa de Divina Pastora, em Sergipe, a filé e a labirinto, no Ceará, e a de bilro de Morros de Mariana, no Piauí”, afirma Renata Mellão, fundadora do museu. “Todas elas, porém, revelam ao público as riquezas de um pujante Brasil, o Brasil que amamos”.

A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Adriana Barra e Clube de Mães de Camalaú Camalaú, Paraíba. Tipologia: renda renascença. Reprodução/CASACOR
A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Reprodução/CASACOR

Além das técnicas tradicionais, há trabalhos contemporâneos, como os assinados por estilistas em parceria com associações de artesãs. “São cinco vestidos que vieram da exposição ‘Renda-se’ (2015), com curadoria de Dudu Bertolini”, diz Renata. Lino Villaventura, Adriana Barra, Amapô, André Lima e o próprio Bertolini confeccionaram os modelos que estarão expostos.

A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Reprodução/CASACOR

Haverá também, no espaço, a imponente escultura de bambu, criada pelo engenheiro Dom Fernandes, da Bronkz Bambu, remetendo a uma árvore. A peça, com 5,90 metros de altura, foi inspirada na obra do arquiteto vietnamita Vo Trong Nghia e exibida pela primeira vez na CASACOR São Paulo 2021, no ambiente de Kalil Ferre Paisagismo.

Na versão idealizada para o museu, ela ganhou um banco que circunda a estrutura.

A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Reprodução/CASACOR
Continua após a publicidade

A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Instituto Colibri. Paraty, Rio de Janeiro. Tipologia: bordado livre. Reprodução/CASACOR

A mostra contará ainda com trilha sonora do percussionista e compositor Caíto Marcondes e um audiovisual gravado por Dudu Bertolini, contando sua experiência em promover os vestidos com as associações de artesãs, e por João Braga, que relata a história da renda.

A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Reprodução/CASACOR
A Casa Museu do Objeto Brasileiro Um olhar sobre o acervo – rendas e bordados
Ateliê Janela Carioca . Rio de Janeiro, RJ. Tipologia: bordado da vovó. Reprodução/CASACOR

Serviço “Um Olhar Sobre o Acervo – Rendas e Bordados”

 

Datas: de 22 de janeiro a 20 de março

Local: A CASA – Museu do Objeto Brasileiro

Endereço: Av. Pedroso de Moraes, 1216, Pinheiros

Inauguração: 22 de janeiro, das 11h às 19h

Visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h30

Informações e imagens: (11) 3814-9711 / (11) 3097-8840 / whatasapp (11) 94254-1179 / comunicacao@acasa.org.br

Continua após a publicidade

Publicidade