Escher ganha exposição projetada pelo Studio Nendo em Melbourne

O estúdio tomou a forma simples de uma casa como base de seus trabalhos para o projeto, adaptando a forma em diferentes dimensões e escalas

Por Alex Alcantara Atualizado em 17 fev 2020, 16h44 - Publicado em 11 dez 2018, 15h34
Divulgação/CASACOR

O renomado artista gráfico holandês, M.C. Escher, conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses – padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes – ganha uma especial exposição, em Melbourne.

Um padrão de formas de casas foi colocado no chão de um espaço de galeria projetado simetricamente, com temas em torno de reflexões e refrações, como Eye, de 1946. Divulgação/CASACOR

Trata-se da Between Two Worlds, na National Gallery of Victoria, e projetada pelo escritório japonês Nendo, de Oki Sato. A exposição possui 157 gravuras e desenhos de Escher, feitos entre 1916 e 1969, retirados da maior coleção de obras do artista, no Gemeentemuseum (Museu Municipal), em Haia.

O espaço de abertura apresenta um corredor de 17 metros de comprimento com uma animação projetada no piso, que leva os visitantes à primeira galeria. Divulgação/CASACOR

Para “casar” o conceito das obras de Escher com o local que as acolhe, o escritório Nendo projetou um design monocromático imersivo, brincando com geometria e espaço. O estúdio tomou a forma simples de uma casa como base de seus trabalhos para o projeto, adaptando a forma em diferentes dimensões e escalas. A casa foi escolhida por ser um símbolo que representa o espaço.

Tubos de metal preto parecem formar motivos de casas enquanto os visitantes andam pelo espaço da galeria. Divulgação/CASACOR

Pássaros, peixes e outros animais, frequentemente recorrentes no trabalho de Escher, são usados para explicar os conceitos por trás da exposição e como uma ferramenta de navegação em 3D. A exposição é organizada de acordo com temas e não cronologicamente, em nove áreas de exibição, cada uma projetada para fornecer um cenário adequado para as obras específicas.

Um lustre feito de mais de 55.000 pequenas casas planas paira em uma galeria circular. Divulgação/CASACOR

Uma coleção de 11 peças de objetos que começaram como mockups de papel (uma maquete ou representação de um objeto ou produto em seu tamanho natural ou em escala) evoluíram para um grupo de objetos que se juntarão à coleção permanente da galeria.

Divulgação/CASACOR
Continua após a publicidade
Publicidade