Encontro sobre Abraham Palatnik abre série de transmissões gratuitas

O primeiro encontro será sobre Abraham Palatnik, precursor da arte cinética no Brasil. O especial irá revelar histórias curiosas por trás de suas exposições

Por Redação - Atualizado em 26 jun 2020, 13h26 - Publicado em 24 jun 2020, 17h04

O grande mestre Abraham Palatnik, falecido em maio, aos 92 anos, é tema da primeira edição da série de encontros gratuitos e promovidos pela Art Unlimited, em parceria com a Agência Galo, com início no sábado 27/06, às 11h. Crônicas da Art Unlimited: as histórias e os bastidores das exposições contados por quem faz terá transmissão ao vivo pelo YouTube e plataforma Zoom. Os próprios produtores e curadores da maior exposição retrospectiva já realizada sobre Palatnik revelarão aos participantes suas percepções e experiências em torno do número um da arte cinética. As inscrições devem ser feitas pelo link.

“Para nós é uma honra nos unirmos a nomes que admiramos em tributo a Abraham Palatnik, artista com quem tivemos a oportunidade de trabalhar e aprender tanto”, completa o curador Pieter Tjabbes.

Os encontros terão como ponto de partida a exposição Abraham Palatnik – A reinvenção da pintura, mostra com mais de 85 trabalhos do artista, entre pinturas, aparelhos cinecromáticos, objetos cinéticos e lúdicos, mobiliário e desenhos de projetos que itinerou, entre 2013 e 2017, pelo Centro Cultural Banco do Brasil Brasília (CCBB-DF), Museu Oscar Niemeyer (Curitiba), MAM SP, Fundação Iberê Camargo (Porto Alegre) e Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro (CCBB-RJ), respectivamente.

Filho de pais russos, Abraham Palatnik nasceu em Natal (PE) em 1928, mas foi criado em Tel Aviv. Ainda em Israel, já produzia pinturas de paisagens, retratos e natureza-morta. Voltou ao Brasil radicando-se no Rio de Janeiro na segunda metade da década de 1940, onde redefiniu seu estilo após visitar o Hospital Psiquiátrico Dom Pedro II, no Engenho de Dentro, e ter contato com produções artísticas de pacientes esquizofrênicos, orientadas pela psiquiatra Nise da Silveira. Formado em Engenharia, implementou os conhecimentos na sua produção, alinhando arte e tecnologia. Palatnik é o grande expoente da arte cinética, lançando um modelo de pintura com luz em movimento.

Serviço:

Data: 27/06 (sábado)

Continua após a publicidade

11h- Pieter Tjabbes e Felipe Scovino

Uma conversa sobre o artista e os conceitos da exposição

11h30-Tânia Mills e Magali Melleu Sehn.

Desafios de exibição e preservação de obras cinéticas: estudo de caso Palatnik

12h Pieter Tjabbes e Kristhyan Natal

Desafios técnicos com cinecromáticos e objetos cinéticos de Palatnik

Continua após a publicidade
Publicidade